Velódromo do Rio é interditado após ventos fortes danificarem o teto

Depois de ser ameaçado pelo fogo em dois incêndios em 2017, agora o Velódromo do Parque Olímpico do Rio de Janeiro pode ser danificado pela chuva. Neste fim de semana, um vendaval danificou a cobertura da instalação, deixando a pista de ciclismo novamente exposta. A estrutura foi interditada, e lonas plásticas foram instaladas para evitar o desgaste da pista.

Velódromo do Rio é interditado após ventos fortes danificarem o teto2.jpeg
Água da chuva dentro do velódromo / Foto: Reprodução

Em nota, a Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) informou que, em virtude da chuva torrencial e vendaval ocorridos nesta madrugada na cidade do Rio de Janeiro, parte da cobertura do Velódromo do Parque Olímpico foi danificada. E que embora tenha ocorrido vazamento no interior da estrutura, não houve dano à pista de ciclismo, que logo foi protegida por lonas. A autarquia já tomou as medidas emergenciais cabíveis, o que inclui o acionamento da empresa responsável por fazer os reparos, que serão iniciados na segunda-feira, 15.

Velódromo do Rio é interditado após ventos fortes danificarem o teto1.jpeg
Lonas plásticas foram colocadas para proteção da pista / Foto: Reprodução

O Velódromo do Parque Olímpico do Rio é considerado a pista de ciclismo mais rápida do mundo e depende do funcionamento 24h por dia do sistema de ar-condicionado, o que custa R$ 11 milhões ao ano com despesas como refrigeração e limpeza. De acordo com a RioUrbe, o local contou com seguro apenas durante a obra. Em 23 de dezembro do ano passado, o Ministério do Esporte e a Prefeitura do Rio de Janeiro assinaram contrato de cessão da área e das Arenas 1 e 2 e do Centro Olímpico de Tênis. A partir desta data, o governo federal passou a se responsabilizar pela manutenção e gestão do local.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.