Indústria de bicicletas tem melhor produção mensal dos últimos 4 Anos

abraciclo

As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 89.609 unidades no mês passado, o que significa o melhor outubro dos últimos quatro anos. Em outubro de 2015 tinham sido fabricadas 74.337 bicicletas.

Na comparação com outubro de 2017 (69.761 unidades) a expansão foi de 28,5%, e na confrontação com setembro do presente ano (81.590 unidades) a alta foi de 9,8%. O expressivo desempenho do mês junta-se aos crescentes resultados da indústria no acumulado de janeiro a outubro, que avançou 17,6% com 668.058 bicicletas fabricadas, ante 568.230 unidades no mesmo período de 2017.

Para Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da entidade, o desempenho registrado ao longo de 2018 mostra que o setor vem se fortalecendo cada vez mais. “A bicicleta tem se tornado item de alta demanda nas cidades devido ao seu uso crescente para mobilidade e práticas esportivas. Além disso, nossas associadas têm registrado evolução constante nos negócios porque estão fabricando o que o consumidor brasileiro realmente busca, que são as bicicletas de maior valor agregado”, diz.

Com os resultados positivos até o momento, permanece a projeção do segmento de alcançar a fabricação de 765.000 unidades em 2018. Caso esta projeção se concretize, significará um crescimento de 15% sobre as 667.363 unidades produzidas em 2017.

Abraciclo divuldação
Foto divulgação

Desempenho por Categorias

No mês de outubro foram produzidas 51.568 unidades de bicicletas da categoria Urbana, alta de 17,5% sobre as 43.906 bicicletas fabricadas no mesmo período do ano passado. Na comparação com setembro (50.278 unidades) houve alta de 2,6%.

A categoria Mountain Bike (MTB) contou com 37.328 unidades produzidas, volume 50% maior em comparação com outubro de 2017 (24.884 unidades) e 20,5% superior ao registrado no mês anterior do presente ano (30.967 unidades).

Por último, a categoria Estrada totalizou 713 unidades produzidas em outubro, significando recuo de 26,6% sobre o mesmo mês do ano passado (971 unidades). Contudo, na comparação com setembro do presente ano houve expansão de 106,7%, com 345 bicicletas produzidas.

No que diz respeito à participação na produção total, em outubro a Urbana aparece no topo com 57,5%, seguida da MTB, com 41,7%, e da Estrada, com 0,8%. Ainda de acordo com a Abraciclo, o segmento MTB vem crescendo principalmente porque envolve um tipo de bicicleta que passou a ser utilizado também nas cidades, apesar de sua aplicação clássica como veículo off-road.

Dados da entidade mostram também que no acumulado de janeiro a outubro foram fabricadas 390.101 bicicletas da categoria Urbana (participação de 58,4%), 272.093 unidades de MTB (40,7%) e 5.864 unidades de Estrada (0,9%).

Os volumes de bicicletas produzidos no PIM nos dez meses do ano foram distribuídos para comercialização para as seguintes regiões do País: Sudeste, com 55,4% das unidades; Sul, 19,4%; Nordeste, 14,4%; Centro-Oeste, 6%; e Norte, com 4,8%.

Confira a seguir as características básicas das bicicletas de cada categoria:

Urbana/Recreacional – caracterizada pelas bicicletas projetadas para mobilidade urbana ou recreação fora da terra. Para isto, oferecem mais conforto, com posição de pedalar mais confortável, amortecimento frontal ou não, pneus slick (com banda lisa) e semi-slick (banda com cravos bem baixos ou desenhos), para-lamas ou não e luzes de segurança.

Mountain Bike – bicicletas destinadas ao público adulto, geralmente com aros de 26 a 29 polegadas, quadros full-suspension e/ou amortecimento frontal. Ideais para o uso em trilhas e terrenos acidentados.

Estrada – bicicletas com aro de 700 milímetros, pneus estreitos tipo slick e quadro e garfo sem amortecimento. Destinadas às modalidades de performance no asfalto.

Pim Abraciclo Manaus
Foto divulgação

Exportações e Importações

As exportações brasileiras de bicicletas totalizaram 801 unidades em outubro, volume 17,8% inferior ao mesmo mês do ano passado (975 unidades) e 54,9% menor que as 1.775 unidades embarcadas em setembro do presente ano. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), analisados pela Abraciclo. Os principais destinos foram Chile (50,4%), Uruguai (37,5%) e Paraguai (11,2%).

No acumulado de janeiro a outubro foram exportadas 9.982 unidades, correspondendo a um crescimento de 12,6% ante o volume de igual período de 2017 (8.866 unidades). Os principais destinos dos produtos foram Paraguai (45,4%), Uruguai (31,2%) e Bolívia (17,7%).

As importações de bicicletas realizadas em todo o território nacional chegaram a 12.126 unidades em outubro, correspondendo à redução de 48,1% na comparação com igual período de 2017 (23.371 unidades) e à alta de 90,3% sobre setembro do presente ano (6.371 unidades), também de acordo com a análise da Abraciclo sobre os dados do MDIC. As bicicletas vieram principalmente da China (85,4%), Taiwan (7,2%) e Portugal (2,9%).

No período de janeiro a outubro, as importações de bicicletas somaram 94.492 unidades e foram 18,6% menores que o volume dos dez meses de 2017 (116.117 unidades). As bicicletas importadas neste período foram fabricadas principalmente na China (82,6%), Taiwan (6,6%) e Camboja (4,1%).

Com informações de ABRACICLO

abraciclo-logo-1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.