Produção de Bicicletas cresce 15,9% em 2018

As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 773.641 unidades em 2018, volume 15,9% superior ao registrado no ano anterior (667.363 unidades), conforme dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

Na análise isolada de dezembro foram produzidas 21.857 unidades, volume praticamente equivalente ao registrado em igual período de 2017 (21.879 unidades). Na comparação com novembro de 2018 (83.726 unidades), nota-se uma queda de 73,9%.

Segundo Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, depois de quatro anos de declínio, a indústria demonstrou uma retomada nos negócios em 2018, impulsionada pela maior oferta de produtos, preços mais competitivos e expansão da mobilidade urbana. “Isso mostra com clareza o impacto positivo da ampliação das redes de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas nas cidades brasileiras”, comenta.

Abraciclo

Na avaliação do executivo, outro motivo para o desempenho expressivo está na redução do índice de inadimplência dos consumidores, aliada ao aumento da oferta de crédito pelas instituições financeiras.

Com base nos resultados do ano passado, a entidade reforça seu otimismo em relação aos negócios previstos para 2019. “Acreditamos que haverá um crescimento de 10,8% na produção de 2019, devendo chegar a 857.000 unidades”, diz Gazola.

De acordo com o executivo, esta expectativa está baseada nas mudanças e implantação de novas medidas na economia, que podem ocorrer com o novo governo federal, além da continuidade dos lançamentos de bicicletas de maior valor agregado pelas fabricantes do PIM. Segundo ele, o mercado percebe e responde positivamente à melhoria contínua da tecnologia, qualidade e gama de oferta dos produtos e marcas nacionais, que têm preços mais acessíveis aos consumidores.

“Com a redução do endividamento das famílias, devem ser retomadas as compras planejadas, tendo, ainda, o apoio do varejo na oferta de crédito mais acessível. Estes fatores podem levar à aceleração da demanda já no primeiro semestre do ano”, avalia Gazola.

RESULTADOS POR CATEGORIA

Em dezembro foram produzidas 7.653 bicicletas da categoria Urbana, representando uma queda de 37,1% sobre as 12.172 unidades fabricadas no mesmo mês de 2017. Na comparação com novembro (25.480 unidades), a redução foi de 70%.

A categoria Mountain Bike (MTB) contou com 13.711 unidades produzidas em dezembro, volume 102,9% maior em comparação com o mesmo mês de 2017 (6.757 unidades) e 69,4% inferior ao registrado em novembro (44.769 unidades).

A categoria Estrada totalizou 478 unidades produzidas em dezembro, significando aumento de 179,5% sobre o mesmo mês de 2017 (171 unidades). Contudo, na comparação com novembro houve uma queda de 46,3%, com 890 bicicletas produzidas.

Abraciclo

A categoria Infanto-Juvenil teve somente 15 unidades produzidas em dezembro, correspondendo a uma queda de 99,5% sobre o mesmo mês de 2017 (2.779 unidades) e um recuo de 99,9% sobre novembro (12.587 unidades).

Dados da entidade mostram também que, no total, em 2018 foram fabricadas 330.573 bicicletas da categoriaMTB (participação de 42,7% no mix de produção), 306.740 unidades da Urbana (39,6%), 129.096 unidades deInfanto-Juvenil (16,7%) e 7.232 unidades de Estrada (0,9%). De acordo com a Abraciclo, a categoria MTB vem crescendo principalmente porque envolve um tipo de bicicleta que passou a ser utilizado também nas cidades, apesar de sua aplicação clássica como veículo off-road.

Confira a seguir as características básicas das bicicletas de cada categoria:

Urbana/Recreacional – caracterizada pelas bicicletas projetadas para mobilidade urbana ou recreação fora da terra. Para isto, oferecem maior conforto, com posição de pedalar mais confortável, amortecimento frontal ou não, pneusslick (com banda lisa) e semi-slick (banda com cravos bem baixos ou desenhos), para-lamas ou não e luzes de segurança.

Mountain Bike (MTB) – bicicletas destinadas ao público adulto, geralmente com aros de 26 a 29 polegadas, quadrosfull-suspension e/ou amortecimento frontal. Ideais para o uso em trilhas e terrenos acidentados.

Estrada – bicicletas com aro de 700 milímetros, pneus estreitos slick e quadro e garfo sem amortecimento. Destinadas às modalidades de performance no asfalto.

Infanto-Juvenil – bicicletas destinadas ao público de oito a 15 anos, nas quais o tamanho do aro varia entre 20, 24 e 26 polegadas.

Os volumes de bicicletas produzidos no PIM em 2018 foram distribuídos para comercialização para as seguintes regiões do País: Sudeste, com 55,4% das unidades; Sul, 19,5%; Nordeste, 14,7%; Centro-Oeste, 5,8%; e Norte, com 4,6%.

IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

De acordo com dados do então Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) analisados pela Abraciclo, a importação de bicicletas em todo o território nacional totalizou 117.668 unidades em 2018, representando uma queda de 22,6% sobre o volume de 2017 (152.098 unidades).

As bicicletas importadas vieram principalmente da China (82,5%), seguida de Taiwan (6,6%) e de Camboja (4%). Somente em dezembro, quando foram importadas 20.223 unidades, a China representou 77,9%, Taiwan 7,3% e Camboja 6%.

Também com base na análise da Abraciclo sobre dados do então Mdic, no ano passado foram exportadas 12.880 bicicletas produzidas no Brasil, significando uma alta de 6,9% sobre o volume de 2017 (12.048 unidades). O principal mercado das exportações foi o Paraguai, com 48,7%, seguido do Uruguai (27,4%) e Bolívia (14%).

No desempenho apenas de dezembro, a Bolívia foi o principal mercado externo das bicicletas brasileiras com 663 unidades (41% de participação), seguida por Paraguai com 526 unidades (32,5%) e Uruguai com 420 unidades (26%).

PROJEÇÕES

Projeção 2019 - BicicletasProjeção 2019 por categoria de Bicicletas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.