É oficial: andar de bicicleta é bom para sua vida sexual

Publicado pela Associação Americana de Urologia, artigo investiga a ligação entre o ciclismo e a saúde sexual e a função urinária.

É uma questão que pode estar na mente de muitos ciclistas, toda essa pressão sobre suas regiões inferiores afeta a sua saúde sexual? Ou sobre a reprodução bacteriana que pode ser o selim para uma receita de infecção do trato urinário?

A American Urological Association, uma organização de pesquisa médica com foco em saúde geniturinária, apresentou os resultados de dois estudos separados sobre o impacto do ciclismo nas funções sexuais e urinárias dos homens e nas mulheres em uma conferência em Boston, MA, EUA.

Ciclistas comparados com corredores e nadadores:

Embora os efeitos positivos do ciclismo sejam bem conhecidos, que incluem melhoria da saúde cardiovascular, força, redução do estresse e melhora no bem-estar mental, há muito tempo há discussões sobre a ligação entre ciclismo e vários problemas de saúde sexual e do trato urinário, como disfunção erétil , dormência perineal, infecções do trato urinário e úlceras de selim.

Selim.jpg
Foto reprodução

Este estudo teve como objetivo fazer uma análise comparativa detalhada dos impactos do ciclismo na saúde geniturinária de ciclistas do sexo masculino e feminino.

4.000 homens participaram do estudo, dos quais 63% eram ciclistas e 37% eram nadadores ou corredores que não praticavam o ciclismo. Participaram 2.691 mulheres, das quais 39% eram ciclistas e 61% corredores ou nadadores que não praticavam ciclismo regularmente.

O estudo centrou-se em “atletas”, embora a definição de “atleta” não seja mencionada. Como os participantes foram recrutados através de anúncios no Facebook e de divulgação para clubes de ciclismo, com os nadadores e corredores recrutados como controles, é provável que o termo “atleta” seja um título auto-selecionado.

Os participantes foram questionados sobre seus hábitos de ciclismo, função sexual, sintomas urinários e histórias de ITUs e dormência perineal.

Para os propósitos do estudo, “ciclismo de alta intensidade” foi definido como “pedalar por mais de dois anos, mais de três vezes por semana e uma média de mais de 40 quilômetros” por atividade.

Andar de bicicleta pode ser bom para a sua vida sexual, os resultados parecem positivos!

Para os homens, não havia indicação de que os ciclistas tivessem pior função erétil do que os não-ciclistas, nenhum impacto na incidência de infecções do trato urinário inferior e o estudo descobriu que os benefícios cardiovasculares superavam qualquer impedimento teórico do ciclismo, o que essencialmente significa que os benefícios superam em muito os pontos negativos. Dito isto, os ciclistas do sexo masculino tiveram uma chance maior de sentir dormência perineal.

Para as mulheres, parecia não haver nenhum efeito “apreciável” nas funções sexuais ou urinárias e nenhuma diferença significativa entre os sintomas urinários entre ciclistas e não-ciclistas, embora os pesquisadores não deixaram claro a definição de “apreciável’ e especula-se que isso pode estar relacionado à frequência, gravidade ou uma combinação de várias medidas.

No lado negativo, pode haver um aumento do risco de infecções do trato urinário, e ciclistas de alta intensidade, como definido acima, eram mais propensos a desenvolver dormência e feridas na região do selim, o que realmente não é uma notícia nova.

Mas possivelmente os dois elementos mais interessantes são o fato de que o resumo da pesquisa indica em primeiro lugar que ‘tipo assento de bicicleta’, pelo qual se supõem que os pesquisadores apontam para selim, ‘não teve efeito significativo nos resultados’ e segundo que ambos e as mulheres apresentaram maiores escores em seus respectivos testes de função sexual.

Selim duro.jpg
Foto reprodução

O primeiro é interessante, mas sem informações mais detalhadas sobre o que os pesquisadores querem dizer com “tipo de assento” e “significativo”.

É recomendado encontrar um selim que seja confortável para você, qualquer que seja o tipo, vale o tempo e o dinheiro, e como qualquer um que tenha usado um selim desconfortável pode confirmar.

O segundo ponto, escores mais altos nos testes de função sexual, é verdadeiro tanto para homens quanto para mulheres. Esses testes medem excitação, satisfação, etc, e é auto-pontuado. Não é um comentário sobre experiência, conhecimento ou atitudes.

Assim, de acordo com esses dados preliminares, parece que os ciclistas têm uma vida sexual melhor do que os não-ciclistas, pelo menos marginalmente.

Isto, é claro, não se aprofunda especificamente sobre o porquê disso e é improvável que seja o efeito milagroso de se sentar em um selim. No entanto, considerando que fatores como saúde física e bem-estar mental têm um efeito sobre a função sexual, se os ciclistas são mais aptos e felizes, isso pode levar a uma vida sexual mais feliz, porém não explica por que os ciclistas parecem mais felizes que os corredores ou nadadores.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.