Seguir o Tour de France como planejado seria crime contra a humanidade

Tour de France

Permitir que o Tour de France prossiga conforme o planejado, apesar da pandemia do COVID-19 seria “loucura” e um “crime contra a humanidade”, disse o ex-ministro do esporte francês David Douillet.

O surto dizimou o calendário esportivo global e o Tour de France, que ocorre em junho e julho. Nesse sentido é um dos últimos grandes eventos esportivos mundiais que não foram cancelados ou adiados.

A ministra do Esporte da França, Roxana Maracineanu. Disse no Twitter, que mês passado que era muito cedo para decidir se o Tour de France deveria ser cancelado, mas que se a corrida prosseguisse, poderia ser realizada sem espectadores na estrada para minimizar o risco de infecção.

Douillet, bicampeão olímpico de judô que assim atuou como ministro de esportes do ex-presidente Nicolas Sarkozy de 2011 a 2012, disse que os riscos envolvidos na realização do Tour de France superam as implicações financeiras de adiá-lo ou cancelá-lo.

“Deus sabe que eu sou fã do Tour, nunca perco um palco todo verão”, disse ele à France TV.

“Se tivermos meios suficientes para garantir que todos os ciclistas do Tour e o público possam ser testados e todos sejam negativos. Então por que não, mas isso não é muito provável, então isso não pode acontecer. Não há vacina, nada e as pessoas estão morrendo. ”

“Fiquei furioso ao ver que as eleições locais ocorreram”, acrescentou. “Não tenho medo de dizer que é um crime contra a humanidade. Para mim, organizar o Tour nessas condições é do mesmo nível. É loucura. “

Dessa maneira o Tour de France deste ano está programada para começar em 27 de junho em Nice e deve terminar em Paris em 19 de julho.

Além disso você também pode se interessar:
Medida acertada

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.