O Risco de Miocardite na atividade física para os infectados por Covid-19

Fala Galera, estamos passando por momentos de muita incerteza em todos os aspectos de nossas vidas em razão do vírus que originalmente foi descoberto na China o SARS-COV-2 e diante disso fica impossível não falarmos sobre o vírus e o que ele pode nos trazer depois da infecção.

No texto abaixo eu trago uma compilação do que já li sobre.

Para aqueles que se recuperam de COVID-19, a maioria ficará livre dos sintomas após algumas semanas – mas alguns continuarão a lidar com os efeitos por meses. Entre o grupo que aparentemente se recuperou, há um grupo que pode ter uma complicação silenciosa – uma que pode causar a morte. Miocardite, ou inflamação do coração, foi relatada em pacientes com COVID-19 e, embora a magnitude desse problema permaneça obscura, pode causar sérios riscos para atletas jovens, em forma e saudáveis.

Em muitos casos, a miocardite não causa muitos sintomas, mas à medida que o coração se cura, pode haver mudanças em sua estrutura.

Essas alterações podem ser fatais – principalmente por tornar o coração propenso a certos tipos de arritmia, que podem surgir quando a pessoa está se exercitando. Acredita-se que a miocardite seja responsável por 8% das mortes cardíacas súbitas em atletas.

A recomendação

Nos oito meses desde que o COVID-19 se tornou um problema significativo na Europa e na América do Norte, os cardiologistas têm tentado entender a magnitude desse problema. Bem como formular diretrizes sobre como aconselhar os pacientes sobre quando eles estão seguros para retornar ao exercício e quais exames (se houver) eles devem ser submetidos com antecedência.

Como resultado, as diretrizes para o retorno ao exercício tendem a ser muito conservadoras e muito inconsistentes, pouco se sabe sobre a doença.

Imagine se cada paciente que se recuperasse do COVID-19 fosse igualmente submetido a algum tipo de triagem, com a grande maioria realizando um ecocardiograma. Conforme que mais de um milhão de americanos já tiveram essa doença, você pode imaginar que isso pode não ser sustentável.

Existem diversas diretrizes sobre o que fazer, uma diretriz seria para pacientes assintomáticos, não recomendando nenhum tipo de exercício por pelo menos dez dias a partir do momento do diagnóstico e, em seguida, um retorno gradual aos exercícios.

Se algum sintoma se desenvolver (como falta de ar ou dor no peito), exames adicionais são recomendados, como os cardiológicos.

Os pacientes que foram hospitalizados necessitariam de uma triagem mais extensa, incluindo um ecocardiograma. Em alguns casos, eles podem ser impedidos de se exercitar por até seis meses. Contudo há muita variabilidade dentro deste grupo, dependendo da gravidade da doença e da existência ou não de sinais bioquímicos de envolvimento cardíaco durante a hospitalização.

Tudo isso quer dizer que a infecção por COVID-19 é uma doença desagradável e se você já a teve e, especialmente, se tiver sintomas persistentes, consulte o seu médico antes de retomar os exercícios.

Deixe seus comentários e vamos conversando mais sobre. Grande abraço galera e vamos juntos nessa jornada.

Italo Valu
Treinador de Triathlon ; Graduado em Ed Física
Treinador Certificado IronMan;
CBTRI Nível 2; Training Peaks
valubikes@gmail.com
Instagram: @VALU_TRI
Facebook: Valu Triathlon
SITE: www.Valutri.com

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

3 comentários em “O Risco de Miocardite na atividade física para os infectados por Covid-19”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.