Relato de Castor Capoeira no Estadual RJ de MTB 2020

Quando o planejado não sai como planejamos!

Fala Bikers!!! Vamos de mais um relato meu em provas, agora no Estadual de RJ. No início da pandemia, optei em continuar treinando, mas retirei treinos intensos e comecei a fazer treinos mais moderados, para não cair tanto a imunidade, me manter com saúde e ativo. Em seguida, no decorrer deste ano atípico de 2020, mantive novamente os treinos normais, (específicos e intensos), mas competições não tinham.

Ano complicado para todo mundo, mas quis colocar meu foco nos treinos. Não sabíamos quando teríamos competições.

Quando anunciaram o Campeonato Estadual de MTB, falei: “Opa, é nesse que vamos para cima!”. Se já estava treinando antes, aí que treinei mais ainda, foquei muito em subidas, pois sabia que teria subidas duras, e eu queria me testar para saber como eu estava fisicamente, mentalmente e tecnicamente.

Na semana da prova, treino afiado, alimentação afiada, e cabeça ótima, bike com relação nova, tudo revisado. No dia 21 de novembro (sábado), viajei 350 km, fiz um treino para soltar as pernas e conferir a bike, tudo 100 % mas também me sentindo ótimo.

O grande dia

Dia 22 de Novembro de 2020, chegou o dia do Estadual, peguei numeral e chip , começando a chegar todos competidores,… Sinceramente, depois de um tempão sem ver os amigos foi sem dúvida uma ótima sensação, ver a galera “vendendo felicidade” alegria estampada nos rostos.

Foto arquivo pessoal

Então, começou o aquecimento, alinhar e o martelo bateu, iniciou-se a prova, uns 7 km de largada controlada, eu estava ótimo, me sentindo muito bem. Logo atrás dos ponteiros, assim, a moto “madrinha” abriu para o lado, e “borá” para estrada de terra, tocada boa, firme, consistente, quando numa descida……. a corrente saiu pela primeira vez, beleza, me mantive calmo, coloquei no lugar e fui buscar novamente, consegui chegar, me estabilizei, e “bora socar a bota”, aí…….. saiu minha corrente pela segunda vez. Me mantive calmo, parei, coloquei no lugar, quando passou um “pelote” da minha categoria e estavam fortes, fui com eles, fomos revezando e com isso consegui chegar novamente, deu para dar uma respirada, mas, fui surpreendido e saiu pela terceira vez.

Com muita sinceridade, comecei a ficar estressado, parei, coloquei no lugar, e fui atrás novamente, mas começou a ficar difícil de buscar, tirei o pé, e diminui o ritmo, quando saiu pela quarta vez infelizmente.

Vou confessar, foi completamente frustrante, dessa maneira começou a passar um filme na minha cabeça, do tempo que me dedico aos treinos, do que abro mão para poder sempre melhorar a performance, e estar melhorando a cada dia.

Chegando ao km 34, começaram as câimbras na perna esquerda, logo depois na direita, me fazendo ter que parar para alongar, uma dor insuportável, e para completar, chegando ao final em um single track, peguei um engarrafamento de atletas empurrando, piorou mais ainda.

Nunca desistir

Bom, a única coisa que não passou na minha cabeça, foi em desistir, se o planejado saiu errado, fazer o quê? Mudar de planejamento e apenas terminar a prova. Infelizmente o resultado não saiu como foi trabalhado, saí com Top 19 no Estadual. Por tudo que treinamos, que focamos e que o corpo já tinha absorvido, esperava um Top 5, mas vamos para cima, olhar para frente e continuar treinando.

Foto arquivo pessoal
Em um dos documentários do Henrique, ele fala:

“Parece que Deus nos testa a todo o momento, para ver se é isso que queremos mesmo!”.

Compartilhado mais um relato da minha experiência em provas em treinos! Gratidão por tudo que posso desfrutar nesse mundo da bike!
Um forte abraço a todos os bikers, e bora treinar!!!!!
Agradeço imensamente a todos os parceiros pela confiança!!!

Um abraço Castor Capoeira
@capoeira.castor

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.