Entregadores por aplicativo fazem greve em vários estados

Nesta quarta-feira, 1º de julho, entregadores realizam paralisação nacional de atividades em aplicativos como iFood, Uber Eats, Rappi, James e Loggi em protesto contra as más condições de trabalho e a falta de suporte para executar a função.

Assim muito tem se falado sobre as condições precárias às quais esses profissionais são submetidos. Muitos argumentos têm se baseado no seguintes fatos.

Vale lembrar que os fato abaixo foram apurados pela Aliança Bike em pesquisa realizada em 2019.
  • A média de horas à disposição do app é de 9h24min por dia.
  • 30% pedalam mais de 50 km por dia fazendo entregas.
  • Em média, ciclistas entregadores ganham R$ 936 por mês.
  • 55% deles têm menos de 22 anos.
  • 53% têm até o ensino médio completo.
  • Para 59%, a principal motivação para iniciar com as entregas foi porque estavam desempregados.
  • 71% desses profissionais são negros.
  • 40% dizem que o principal problema é a falta de segurança no trânsito, seguido de falta de infraestrutura adequada como ciclovias (30%).

Os entregadores contudo reivindicam segurança, alimentação, taxas justas de entrega, licença remunerada em caso de acidente e o fim da pontuação e dos bloqueios indevidos nas plataformas.

Além disso você também pode se interessar:
Medida acertada

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.