Delivery Justo faz a ponte do comércio local com entregadores de bicicleta

delivery justo

Para muitos pequenos comércios que foram pegos de surpresa com a pandemia e não tinham serviços de delivery, as taxas cobradas por grandes aplicativos pode inviabilizar o negócio. Um grande aplicativo, só para receber um pedido a ser retirado no balcão, cobra do comércio 12% do valor do pedido e essa taxa chega a 27% caso também use o serviço de entrega. Além disso, há uma mensalidade de R$ 130.

Do outro lado, o aumento do desemprego durante a pandemia fez com que mais pessoas recorressem ao mesmos grandes aplicativos para gerar alguma renda durante a crise. No entanto, mesmo sendo considerado um serviço essencial, os valores pagos por entrega foram reduzidos devido ao excesso de gente. Pagam em geral R$ 1 por quilômetro. Com a insatisfação, entregadores que atuam com essas empresas têm promovido manifestações e greves para exigir melhores condições de remuneração e trabalho.

A iniciativa

Para diminuir essas discrepâncias, o Instituto Aromeiazero está convidando pequenos comércios com atuação local, em todo o Brasil. Mas também principalmente nas periferias, a adotarem a bicicleta para fazer entregas.

A campanha Delivery Justo foi criada para ajudar a divulgar essa demanda de comerciantes a quem mora na mesma região de atuação e tem interesse em gerar renda fazendo entregas de bicicleta.

O Delivery Justo faz parte do projeto Viver de Bike e vai contribuir para o fortalecimento de economias locais. Contudo principalmente nas periferias da cidade, apoiando pequenos e médios negócios a adotar a bicicleta como solução logística e, assim, colaborar com a criação de modelos mais dignos de trabalho.

Resultado

Como resultado, espera-se que ambos os lados dependam cada vez menos de grandes aplicativos de entrega. Mas assim possam obter rendimentos mais justos pelo  trabalho que realizam ao evitar a intermediação desnecessária. A equipe do Aromeiazero analisa os cadastros regularmente, entra em contato com comerciantes e entregadorexs e faz o encaminhamento caso haja interesse mútuo.

Os formulários de adesão para comerciantes e entregadores estão disponíveis no endereço www.aromeiazero.org.br/deliveryjusto. A página também traz dicas de como adotar a bicicleta no negócio de forma segura e sustentável ou como se prevenir do contágio pelo Covid19.

Gastronomia Periférica de bike

O chef Edson Leite, idealizador do Gastronomia Periférica,  afirma que a iniciativa pode resgatar o poder de negociação de trabalhadores periféricos.

“A parte mais importante do Delivery Justo está em reforçar a consciência de que podemos ganhar mais e de forma mais justa. Ele beneficia o nosso poder da escolha e de definir os nossos próprios padrões”, por fim diz.

Ele também está avaliando o uso da bicicleta na sustentabilidade de pequenos comércios da quebrada. Em uma parceria com a Suflex, startup que desenvolve soluções para ajudar empreendedores e comércios de alimentos e bebidas, o aplicativo Gastronomia Periférica será aprimorado para que, além de apresentar restaurantes nas periferias para clientes, ajude na profissionalização e aumento da lucratividade do negócio.

Para nortear o trabalho, além de comprar uma bicicleta para conhecer na prática os benefícios que ela proporciona para o negócio de alimentação, está convidando restaurantes das quebradas a participar de uma pesquisa que vai mostrar o perfil e os principais desafios desse tipo de empreendimento.

Uma das perguntas refere-se ao delivery. Até o momento, uma de cada duas respostas informou que teria condições de adotar a bicicleta para fazer entregas, o que reforça a tendência de que esse tipo de logística vai ganhar mais importância mesmo depois do fim da quarentena imposta pela pandemia do Covid19.

Além disso você também pode se interessar:
Medida acertada

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.