Aromeiazero aposta em patrocínios, campanhas e leis de incentivo

Aromeiazero

Diversidade na captação de recursos pode garantir o sucesso de uma ONG

Nos últimos anos, devido a crise econômica e sanitária causada pelo Coronavírus, foi possível perceber ainda mais a importância das ONGs no Brasil. Elas desempenham um papel fundamental na resposta imediata a grupos vulneráveis ​​e no desenvolvimento de resiliência nas comunidades mais afetadas. O Aromeiazero é uma delas. O instituto utiliza a bicicleta por meio de projetos sociais para reduzir as desigualdades e contribuir para tornar as cidades mais resilientes.

Manter uma Organização Não Governamental é um processo parecido ao de uma empresa privada, pois exige planejamento, estratégias, profissionais capacitados e uma boa gestão. A captação de recursos para ONGs, por exemplo, é uma estratégia essencial para garantir a existência e manutenção das atividades desenvolvidas.

Pesquisa

Uma pesquisa do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social junto com o instituto de pesquisas Ipsos mapeou as doações dos brasileiros no ano de 2020. O estudo entrevistou mais de duas mil pessoas, de todas as classes sociais e regiões do país. Cerca dos 66% dos entrevistados responderam que fizeram algum tipo de doação em 2020. Diante desse dado, o grande desafio é encontrar formas mais efetivas para estimular o retorno positivo nos processos de obtenção de recursos.

Desde 2011, as iniciativas do Instituto Aromeiazero promovem uma visão integral da bicicleta, potencializando expressões culturais e artísticas, geração de renda e hábitos de vida saudáveis. Há quase 10 anos, o Aro já fez de quase tudo um pouco: festas beneficentes, rifas, uma marca própria de café com renda revertida e aluguel de bicicletas. Hoje conta com o patrocínio de empresas, e pessoas físicas, apoio de outras fundações, Ongs e parcerias com o poder público, leis de incentivo e campanhas.

A ONG busca captar recursos com ações diversas. Como, por exemplo, a Bike Parada Não Rola, que consiste no recebimento e na recolha de bikes esquecidas nos bicicletários, principalmente de condomínios residenciais, para utilizá-las em projetos e ações. A meta deste ano é de recolher 1.000 bikes. O “Km Solidário”, aplicativo gratuito cujo objetivo é desenvolver a cultura de doação, transformando quilômetros percorridos nas atividades do dia a dia em apoio financeiro para organizações cadastradas, entre elas o Aro. E o Bazar da Bike, um bazar beneficente, cuja a principal receita gerada é revertida para o desenvolvimento das atividades. A última campanha criada foi a do lançamento da primeira linha de camisetas chamada “Vou de Bike” inspirada na criatividade e autenticidade que o mundo da bicicleta representa, entregando uma seleção de produtos personalizados para vestir no dia-a-dia, a fim de difundir a cultura da magrela. Vale informar que, 50% do lucro da venda será doado mensalmente para o Aromeiazero.

Em paralelo a isso, os projetos da ONG são patrocinados por diferentes empresas, como EDP, Bloomberg e Fundação Tide Setubal. Atualmente é associado à Aliança Bike, Ciclocidade, União de Ciclistas Brasileiros e World Cycling Alliance. O Itaú Unibanco, por exemplo, renovou pelo 7º ano consecutivo o patrocínio institucional do Aro, mas representando até 25% do total captado – uma forma de evitar a dependência desse recurso tão importante e que permite o Aromeiazero seguir investindo no seu desenvolvimento institucional.

Outro exemplo de parceria com projetos socioambientais é o Pedala Macaé, patrocinado pela Ocyan, que tem o intuito de promover a bicicleta como ferramenta de geração de renda, cidadania, fortalecimento de economias locais e melhorias na qualidade de vida dos macaenses. Vale informar também que Shimano, ALD Automotive, EDP e West Rock investem no Aro por meio de Leis de incentivo.

O Instituto Aromeizero já fez com que mais de 800 pessoas aprendessem sobre mecânica de bicicleta e outros conteúdos e realizou mais de 80 projetos em diversas cidades. Aproximadamente 6.000 pessoas pedalaram com a ONG, sendo 4.200 crianças, mais de 4.000 bicicletas consertadas de graça, nas mecânicas comunitárias e cursos, voltaram às ruas e mais de 35.000 pessoas participaram dos festivais.

Sobre o Aromeiazero

O Instituto Aromeiazero é uma organização sem fins lucrativos que utiliza a bicicleta para reduzir as desigualdades sociais e contribuir para tornar as cidades mais resilientes. O Aromeiazero conta com o patrocínio institucional do Itaú Unibanco e da Argo Seguros, além de leis de incentivo, sendo grande parte das ações em periferias e comunidades vulneráveis. Desde 2011, as iniciativas do Aro promovem uma visão integral da bicicleta, potencializando expressões culturais e artísticas, geração de renda e hábitos de vida saudáveis.

Assim maiores informações no site.

Fotos divulgação Aromeiazero

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.