Bicicleta na periferia é o tema do Viver de Bike nesta sexta-feira dia 7

Aromeiazero

Nesta sexta-feira, 7 de junho, a partir das 19 horas, alunos e alunas das turmas 11 e 12 do Curso Viver de Bike chamam o público ligado na bicicleta para mais um Viver de Bike Convida. Nesta edição, ele abordará usos, possibilidades e potencialidades da bicicleta na periferia. Antes do bate-papo inspiracional com as convidadas, Jô Pereira, Jezz Rodrigues e Paulo Alves, será exibido o documentário, Elo Perdido, de Renata Falzoni. O filme dura 30 minutos e aborda a bicicleta em cinco cidades brasileiras.

É garantia de conversa enriquecedora. O Paulo Alves pertence ao coletivo Bike Zona Sul e é um entusiasta do potencial que o cicloturismo tem para gerar renda na Zona Sul de São Paulo; a Jô Pereira é diretora-geral da Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos e, assim como Jezz Rodrigues, é integrante do coletivo, Preta, vem de bike, que usa bicicleta para gerar equidade de gênero e raça com aulas de bicicleta para meninas da periferia e mulheres quilombolas, estimulando a representatividade feminina na mobilidade urbana, ampliando as vozes das mulheres negras e ocupando espaços.

“Em um projeto que engloba curso, festivais comunitários e a doação, venda e aluguel de bicicletas para gerar renda, aulas como essas não só cumprem o papel de enriquecer o aprendizado e inspirar os alunos em formação, como trazem a questão política para o debate”, explica o diretor do instituto, Murilo Casagrande.

Impacto social através da bicicleta Escola Park Tool e Instituto Aromeiazero transforma (3)
Foto divulgação

Além do curso de 60 horas, o projeto Viver de Bike mantém um programa permanente de estímulo à doação de bicicletas em desuso. Elas são consertadas pelos alunos nas aulas de mecânica e ao final da formação eles as recebem como prêmio por concluírem o curso. As outras bikes são vendidas em bazares ou alugadas para gerar mais renda para o projeto. Já as infantis são usadas no Rodinha Zero, atividade que o Aro realiza para ensinar crianças a aprender a pedalar sem rodinhas auxiliares.

O projeto é patrocinado neste ano pela Fundação Alstom e Trek Bikes com apoio da Kalf e Escola Park Tool e  CDC Arena Radical.  O Itaú-Unibanco apoia o Aromeiazero institucionalmente. Atualmente, duas turmas estão em andamento com 30 inscritos, sendo a metade de mulheres.

Serviço 
Viver de Bike Convida: Bicicleta na periferia
Quando: 7 de junho – 19 às 22 horas
Onde: CDC Arena Radical. Praça Augusto Rademarker Grunewald, 37 – Vila Olímpia, São Paulo – SP, Telefone:(11) 3842-959 (mapa) – A 200 metros da Estação CPTM. Estacionamento grátis, mas venha de bike.

Sobre o Instituto Aromeiazero

O Instituto Aromeiazero – www.aromeiazero.org.br –  é uma organização sem fins lucrativos que promove a bicicleta como instrumento de transformação social, cultural e pessoal, estimulando a diversidade e a colaboração. A missão é promover uma visão integral da bicicleta, não só como transporte, mas também como  expressão artística, oportunidade de renda, lazer, esporte e também como ferramenta de mudança no modo de vida visando a humanização das relações nos centros urbanos.

Impacto social através da bicicleta Escola Park Tool e Instituto Aromeiazero transformam (1)
Foto divulgação

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.