Resultados de brasileiros em provas internacionais podem aumentar vagas em Tokyo 2020

Avancini está em 2º  no ranking mundial e foi 3º  na Copa do Mundo. Outros brasileiros também somam pontos para ranking olímpico na vagas em Tokyo 2020

De volta ao segundo lugar no ranking mundial, Henrique Avancini está prestes a encerrar a temporada.  O atleta que continua fazendo resultados inéditos no mountain bike nacional e tem chances de medalha em Tokyo 2020, ficou com o 3º lugar geral na Copa do Mundo UCI e conquistou 10 pódios de 14 provas. O competidor fez um balanço positivo da temporada nas redes sociais. Os resultados de Henrique Avancini e dos outros brasileiros que pedalaram em competições internacionais e alcançaram pontuação, são degraus para ter uma boa colocação nos ranking das nações UCI, o que reflete diretamente no número de vagas para Tokyo 2020.

Avancini expressou a realização de estar no 2º lugar no ranking mundial lembrando da evolução desde 2012.

“De volta a 2ª colocação no ranking mundial!
O fato por si só já me deixa realizado e é
O ranking reflete o quão bem você consegue performar repetidas vezes.
Acima disso, sou extremamente grato à Deus pela minha jornada e quando olho pra trás e lembro que em 2012 eu nem sequer tinha equipe e estava fora do top 100 do ranking Mundial.Ter subido passo a passo nas pistas e fora delas me deixa feliz em poder afirmar que sempre podemos buscar uma versão melhor de nós mesmos”.

Vagas em Tokyo 2020

O número de vagas Olímpicos para cada país, vai depender da pontuação de cada nação, que serão somados a partir dos três primeiros atletas ranqueados. Serão 38 vagas para cada gênero, sendo que uma já está reservada para os atletas do país sede. O ranking é somado a partir dos pontos dos três primeiros atletas ranqueados na UCI e fecha no dia 28 de maio de 2020. A contagem começou no mesmo dia de 2018.

resultados-de-brasileiros-em-provas-internacionais-podem-aumentar-vagas-da-nacao-em-tokyo-2020 (1)

Conquistam três vagas os países que estiverem na primeira e segunda colocações neste ranking. Duas vagas, nações que comporem o ranking entre o terceiro e o sétimo lugar e uma vaga do oitavo ao 21º. Três vagas são destinadas a campeonatos continentais e quatro vagas aos ganhadores do Mundial de Monte Sainte-Anne, sendo duas para a Elite e duas para Sub23.

Atualmente, os três primeiros atletas brasileiros no ranking da UCI são: Henrique Avancini, Guilherme Muller e Luiz Henrique Cocuzzi, a soma dos pontos dos três atletas leva o brasil estar em 4º lugar no ranking mundial. Ao todo foram quase 550 pontos conquistados pelos três atletas através da CIMTB Michelin para o ranking das nações.

No feminino, a contagem é da mesma forma. Jaqueline Mourão é a atleta mais bem colocada, seguida de Raiza Goulão e Letícia Cândido. Foram mais de 600 pontos conquistados por elas nas competições da CIMTB Michelin. No ranking das nações feminino, o Brazil compõe o 19º lugar o que dá ao Brazil uma vaga para as mulheres.

Para o organizador da CIMTB Michelin, Rogério Bernardes, o Brasil já está em destaque no cenário mundial de mtb e tem tudo para fazer uma participação história em Tokyo 2020. “No Mundial vimos uma disputa muito grande, com uma imagem de Avancini e Cocuzzi correndo juntos a frente de todos. É muito emocionante e ver tudo isso. Além disso, ter a CIMTB Michelin como parte dessa história, faz a gente ter mais motivação para continuar nosso trabalho”, finalizou.

Michelin

A Michelin, líder do segmento de pneus, se dedica ao desenvolvimento da mobilidade de seus clientes, de forma sustentável, criando e distribuindo os pneus, serviços e soluções mais adequados às suas necessidades; fornecendo serviços digitais, mapas e guias, para ajudá-los tonar suas viagens experiências únicas; e desenvolvendo materiais de alta tecnologia, que atendem à indústria da mobilidade. Sediada em Clermont-Ferrand (França), a Michelin está presente em 170 países, emprega 114.100 pessoas em todo o mundo e dispõe de 70 centros de produção implantados em 17 países diferentes que fabricaram 190 milhões de pneus em 2017.

resultados-de-brasileiros-em-provas-internacionais-podem-aumentar-vagas-da-nacao-em-tokyo-2020 (2)
Fotos: Fábio Piva
Sense Bike

Parte da Lagoa Participações, a Sense Bike foi criada em 2009, com o sonho de construir uma marca de bicicletas feita por apaixonados para apaixonados, com padrão internacional, foco em desenvolvimento e indústria de ponta. Com o objetivo inicial de atender às demandas voltadas para a mobilidade urbana, tornou-se referência no mercado no desenvolvimento de bicicletas elétricas. Em 2014, foi inaugurada a fábrica em Manaus, que possibilitou o início da produção de quadros, bem como a montagem de bicicletas elétricas e convencionais (mountain bike, urbana e road), com o que existe de mais inovador em tecnologia. Em abril de 2018, a Sense Bike comprou a Swift Carbon Global, importante fabricante mundial de bikes em fibra de carbono, com operação industrial na cidade do Porto (Portugal). A marca também é patrocinadora de uma das equipes mais importantes do MTB nacional – a Sense Factory Racing, que já conquistou grandes títulos em competições nacionais e internacionais.

CIMTB Michelin 2019

A CIMTB Michelin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e estaduais.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 24ª Edição em 2019. O evento tem patrocínio da Michelin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike.

Mais informações no site da CIMTB

Leia a notícia anterior da organização

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.