Mundial de Pista | No 2º dia Dinamarca brilha na perseguição

Mundial de Pista
O 2º dia de disputas do Mundial de Pista 2020 em Berlim teve 4 finais, sendo que 3 são provas olímpicas.

Surpreendentemente depois de bater duas vezes o recorde mundial da perseguição por equipes masculina no dia anterior. A equipe da Dinamarca, liderada pelo campeão olímpico da Omnium em 2012 Lasse Norman Hansen, sobrou na final nesta quinta-feira vencendo com mais uma marca mundial: 3:44.672. Assim eles melhoraram a marca da 1ª rodada em mais de um segundo e meio ao vencerem a Nova Zelândia na decisão, conquistando o ouro pela primeira vez desde 2009. A equipe da Itália ficou em terceiro lugar com o bronze, ao alcançar a Austrália.

No feminino do mundial de pista, o ouro ficou com a bela equipe americana em primeiro lugar, comandada por Jennifer Valente, após a aposentadoria da incrível Sarah Hammer. As americanas fizeram o melhor tempo na qualificação na quarta-feira, na 1ª rodada nesta quinta com 4:11.634 e, na final, marcaram 4:11.235 contra 1:13.129 da equipe britânica, que perde pela 3ª vez seguida na final do Mundial. A Alemanha em terceiro lugar levou em casa o bronze, derrotando a equip do Canadá. Foi a 4ª vitória americana nesta prova nos últimos 5 mundiais.

No Keirin

Na disputa da Keirin masculina, alguns fortes nomes como o neozelandês Edward Dawkins, o alemão Maximilian Levy e o neerlandês Theo Bos caíram na 1ª rodada e na repescagem. Mas a grande surpresa veio na semifinal, com a eliminação do atual campeão olímpico, o britânico Jason Kenny, por apenas um milésimo! Ele ficou em 4º apenas 0.001 pior que o neerlandês Harrie Lavreysen, 3º na bateria, e 0.004 atrás do cazaque Sergey Ponomaryov, 2º. Na final, Lavreysen se deu melhor e ficou com o ouro, o 2º seguido de um neerlandês nesta prova e o 2º dele neste Mundial! EM segundo lugar o japonês Yuta Wakimoto (3º japonês diferente a ser vice mundial de maneira seguida) e terceiro para o malaio Azizulhasni Awang, campeão desta prova em 2017.

Disputas não olímpicas

Na não olímpica prova do scratch masculino, o ouro ficou com o bielorrusso EYauheni Karaliok. Em primeiro lugar ao cruzar a linha de chegada após 60 voltas (15km). Ele já havia vencido o Scratch em 2018. Prata pro italiano Simone Consonni e bronze pro espanhol Sebastián Mora.

Assim aconteceram as rodadas iniciais do sprint individual feminino. Os melhores tempos na qualificação ficaram com as alemãs campeãs mundiais no sprint por equipes no dia anterior. Emma Hinze fez 10.364 e Lea Friedrich 10.461. Nas 4ª de final, Friedrich foi surpreendida pela canadense Kelsey Mitchell, que venceu o confronto por 2×0; sendo por apenas 0.007 na 1ª bateria e 0.010 na 2ª. Ele enfrentará na semifinal a russa Anastasia Voynova. Na outra semi, Hinze enfrenta Lee Wai Sze, de Hong Kong, atual campeã mundial da prova.

Assim abaixo os melhores momentos do segundo dia.

Além disso você também pode se interessar:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.