Deslocamento diário de e-bike oferece benefícios em velocidade e saúde, conclui o estudo

smiling black woman walking with bicycle along street renting station

Um novo estudo sobre os efeitos de andar de bicicleta elétrica durante um trajeto simulado descobriu que a maioria das pessoas, igualmente aquelas novas no ciclismo, pode completar uma jornada frequentemente mais rápida e com menos esforço do que o necessário com uma bicicleta elétrica assistida (e-bike), mas com uma elevação da frequência cardíaca e respiratória para incluir exercícios significativos na rotina diária.

Contrariando uma desculpa comum para não pedalar – que é tanto a noção de que levará mais tempo e você chegará suado.

Pesquisadores da Universidade de Miami em Oxford, Ohio descobriram que um trajeto de 3 milhas ou 4,8 quilômetros foi concluído em média entre 11 e 12 minutos, versus 114 minutos em uma bicicleta comum. Assim durante esse uso, os monitores de frequência cardíaca em ambas as pedaladas revelaram que o deslocamento diário de bicicleta elétrica se qualifica como exercício moderado. O que dessa maneira, com o tempo, os cientistas qualificam a atividade para benefícios substanciais à saúde e ao condicionamento físico geral.

Entretanto o estudo vai além para entrar em detalhes sobre as variáveis ​​entre os modos de assistência do pedal. Acrescentando que nos níveis de assistência no topo da escala, o exercício não foi substancial o suficiente para fazer a mesma contribuição para a saúde. Vale lembrar que, por se tratar de um estudo com sede nos Estados Unidos, a velocidade máxima de assistência atingiu 20 mph ou 32,18 km/h e teve uma entrada de torque substancial.

Gastos calóricos

Em termos de calorias, os usuários de bicicletas elétricas tiveram em média cerca de 30% menos quando comparado com o mesmo trajeto em uma bicicleta comum. O gasto para usuários de bicicletas elétricas que completam o trajeto de 3 milhas esteve entre 344 a 422 calorias queimadas por hora. Enquanto em uma bicicleta comum superou marginalmente 500. Então é razoável concluir que a maioria dos usuários de e-bike está obtendo em torno de 70% a 80% do benefício da queima de calorias.

e-bike
Foto Uriel Mont/Pexels.com

Uma das autoras do estudo, a Dra. Helen Alessio, conclui que os usuários de bicicletas elétricas vão descobrir os maiores benefícios à saúde usando a configuração com menor assistência com a qual se sentem confortáveis.

Informações

Publicado no Translational Journal of the American College of Sports Medicine, o estudo é baseado em 30 ciclistas inexperientes com idades entre 19 e 61 anos. Cada um dos quais recebeu uma avaliação laboratorial de sua condição física antes dos testes e foi questionado sobre suas atitudes em relação às bicicletas elétricas . Muitos levantaram preocupações com a segurança inicialmente, entretanto mais tarde descobriram que estavam mais relaxados depois de apenas algumas viagens.

As descobertas se alinham a estudos anteriores da Europa, onde as taxas metabólicas provaram ser semelhantes em bicicletas elétricas e bicicletas convencionais. Um encontrou apenas 10% de diferença no esforço físico, enquanto outro concluiu que 95% do tempo no selim os usuários de bicicleta elétrica estavam experimentando esforço físico.

Fotos divulgação e-bike Uriel Mont/Pexels.com

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.