UCI aprova regras rígidas para participação de transgêneros em provas

UCI
A UCI concordou com novos regulamentos sobre a elegibilidade de atletas trans para competir em corridas de bicicleta.

Os regulamentos, então aprovados em uma reunião do Comitê de Gestão da UCI em janeiro, entrarão em vigor em 1º de março deste ano.

Atletas transgêneros que passaram de masculino para feminino devem agora garantir que seu nível sérico de testosterona esteja abaixo de 5 nmol / L, abaixo dos 10nmol / L de acordo com os antigos regulamentos. Por fim o atleta também deve provar que seu nível de testosterona está abaixo desse limite por pelo menos 12 meses antes da competição.

Em um comunicado, o presidente da UCI, David Lappartient, disse que as novas regras garantem “condições equitativas para todos os concorrentes”.

“Graças a esse consenso, alcançado por um grupo de trabalho que representa as diversas partes interessadas de nosso esporte, nossa federação se deu o meio de levar em consideração – e refletindo os desenvolvimentos em nossa sociedade – o desejo dos atletas trans de competir, garantindo um nível de competição justo para todos os concorrentes ”, disse Lappartient.

“Este é um passo importante na inclusão de atletas transgêneros no esporte de elite”.

A atleta transgênero, Rachel McKinnon venceu o Campeonato Mundial de Ciclismo de Pista Masters em Manchester, na Inglaterra, em outubro de 2019, causando polêmica com a vitória na categoria de 35 a 39 anos.

Além disso você também pode se interessar:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.