Shimano comenta perdas, mas prevê aumento global de uso da bike

shimano

Em seu último balanço financeiro, a Shimano falou de “repensar” sua estrutura da cadeia de suprimentos, atribuída a paralisações nas fábricas forçadas pela pandemia de Coronavírus em andamento.

Sobre os resultados do 1º trimestre, o CEO Yozo Shimano disse a agências de notícias locais no Japão que o fechamento de fábricas nos últimos meses obrigou a empresa a reavaliar sua produção. As fábricas em Cingapura e Malásia estavam entre as que foram forçadas a fechar recentemente.

“Como todas as outras empresas de manufatura, queremos aproveitar esta oportunidade para revisar nossa cadeia de suprimentos”, disse o CEO.

Ao mesmo tempo falou de grande otimismo associado a um aumento global no uso da bicicleta durante a pandemia e provavelmente por muito tempo.

“As pessoas estão percebendo a eficácia da bicicleta. As pessoas estão se afastando das multidões e procurando espaço, mesmo em trânsito ” complementou o CEO.

Yozo Shimano a acrescentou que nesse sentido espera que o progresso na Europa continue superando muitos mercados, graças a uma postura mais “progressista em reservar fundos para criar vias para ciclistas”.

As vendas

As vendas da Shimano foram inicialmente afetadas negativamente, com os negócios puxando sua previsão para o ano todo. A empresa registrou um declínio ano-a-ano de 15,4% nas vendas de componentes de bicicletas nos primeiros três meses de 2020. A receita operacional no segmento caiu 26,1% para 10.298 milhões de ienes.

Como a maioria dos outros mercados financeiros, o preço das ações da Shimano igualmente caiu durante a chegada do Covid-19. Mas desde então voltou a atingir novos máximos em maio. O valor de mercado da empresa assim se expandiu à medida que mais investidores estão apostando em cidades que alteram suas prioridades de transporte. A exemplo como já foi visto em todo o mundo, inclusive no Reino Unido.

“As montadoras de bicicletas na Europa estão vendo um aumento nas encomendas e os varejistas nos EUA estão ficando sem estoque”, disse Yozo Shimano sobre as perspectivas atuais.

Para os negócio da Shimano, a linha de produção tem muitos pedidos a serem preenchidos, já que a indústria de bicicletas agora volta sua atenção para a falta de bicicletas, principalmente aquelas usadas para transporte urbano, e-bike e algumas MTB de baixo a médio preço.

Os dados

A partir da demonstração financeira, a Shimano destacou uma queda de 12,3% nas vendas líquidas em comparação com o ano anterior no primeiro trimestre, para 76.920 milhões de ienes. Da mesma forma, a receita operacional diminuiu 22,4%, embora a receita ordinária tenha aumentado 61,8%, principalmente em parte devido aos ganhos cambiais. De acordo com o comunicado, que divulgou o desempenho regional.

Na Europa, auxiliada pelo inverno ameno desde o início do ano, as vendas no varejo de bicicletas concluídas, especialmente as e-bike, foram fortes, mas as vendas caíram acentuadamente a partir de meados de março devido ao impacto do novo coronavírus e dos inventários dos distribuidores de bicicletas na Europa que registraram aumento rapidamente.

Na América do Norte, as vendas de bicicletas prontas no varejo foram fortes, apoiadas pelo bom tempo, mas depois caíram em março devido à disseminação do novo coronavírus. Isso também elevou os níveis de
inventários de distribuidores.

As ações da Shimano, Inc. fecharam com o preço mais alto da semana passada. Assim as ações da gigante de componentes de 99 anos continuam sendo negociadas em níveis historicamente altos, à medida que os investidores antecipam o crescimento do mercado de bicicletas devido à pandemia da COVID-19.

Um resumo completo das finanças da Shimano para o primeiro trimestre divulgado pela mesma pode ser lido aqui. Neste outro link o gráfico da cotação de acordo com o Yahoo!finance.

No Brasil

De acordo com a Abraciclo, as fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) registraram queda de 81,4% em abril, em função do fechamento das fabricas num esforço de conter o avanço da pandemia o coronavírus.

Contudo comerciantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, em contato com a redação da Bike aos Pedaços, informaram que em suas cidades as vendas de bicicletas estão em ótimo momento dada a pandemia. Os lojistas ainda relataram ainda que seus clientes estão optando em usar a bike como meio de transporte seguro neste momento que vivemos.

Fontes: Shimano, Japantimes, Yahoo!finance, Brain, Abraciclo

Além disso você também pode se interessar:
Medida acertada

2 comentários em “Shimano comenta perdas, mas prevê aumento global de uso da bike”

  1. Obrigado Nazan! Você pode nos seguir nas redes sociais, mas para receber todos as notícias faça a assinatura no rodapé do site. Abraço

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.