Robert Marchand, um ícone do ciclismo eternizado por suas conquistas

Robert Marchand

Algumas pessoas se tornam ícones e merecem ser homenageadas. Por este motivo, a pauta de hoje será sobre Robert Marchand, um dos ciclistas mais incríveis que o mundo já conheceu e que faleceu em 22 de maio deste ano, aos 109 anos. Marchand é um grande exemplo a ser seguido e sua vida é um verdadeiro conto.

Nascido em Amiens, na França, foi considerado incapaz de se tornar ciclista por sua baixa estatura (1,52m). E, por esta razão, ainda jovem, foi instruído por seu treinador a desistir do esporte. Porém, surpreendeu o mundo com suas inúmeras façanhas ao longo da vida.

Pessoa humilde e admirável, deixou muitos jovens exaustos e envergonhados, ao perceber tamanha energia. Foi um guerreiro ativista e incansável. Em 1936, teve um importante papel durante o período das greves francesas, que deram origem à era moderna da legislação trabalhista. Foi prisioneiro durante a Segunda Guerra Mundial e, após ser libertado, mudou-se para a Venezuela, onde trabalhou como caminhoneiro e plantador de cana-de-açúcar. Posteriormente, na década de 50, trabalhou como lenhador no Canadá. Retornou à França em 1960 como jardineiro e negociante de vinho, onde permaneceu até 1987.

Marchand teve uma trajetória tão impressionante que mereceu ser objeto de estudo

Em 2017, o “The Journal of Applied Physiology” comprovou que, aos 105 anos, o ciclista detentor do record da hora era mais capaz em termos aeróbicos do que a maior parte das pessoas de 50 anos. E, como se ainda não bastasse, Marchand parecia,  fisiologicamente, estar cada vez mais em forma à medida que envelhecia. Os feitos de Marchand também atraíram a atenção de Veronique Billat, especialista em performance esportiva e pesquisadora, que o acompanhou por dois anos. De acordo com Billat, seu exemplo era inspirador para aqueles que esperam envelhecer bem. Ainda neste estudo, os dados de análise de esforço puderam confirmar que é possível melhorar o VO2 máximo em qualquer idade. Segundo seu treinador e amigo, Gerard Mistler, a longevidade de Marchand se deu ao estilo de vida saudável: com bom humor, otimista e sociável, costumava se alimentar de frutas e vegetais, não fumava e praticava exercícios diariamente.

Sua trajetória no ciclismo começou aos 14 anos, porém, somente após os 68 anos se dedicou ao esporte. A partir de então, Marchand começou a acumular palmares, incluindo oito vezes a prova de Bourdeaux-Paris, quatro vezes a Paris-Roubaix e um incrível desafio Paris-Moscou, aos 82 anos.

Robert Marchand
Foto divulgação
No entanto, somente em 2012 que seu nome entrou pra história

Com mais de 100 anos, Marchand solicitou à UCI a homologação do record da hora para categoria Master para atletas com mais de 100 anos. Neste desafio, ele registrou a impressionante marca de 24,250 km/ hora. Aos 102 anos, superou a si próprio e registrou 26,927 km/h.

O incansável francês não se destacou apenas no record da hora. No Parc de la Tête d’Or Velodrome, Lyon, em 2013, percorreu 300 voltas, totalizando 100 quilômetros em 4h17m27s. Em 2017, foi reconhecido como o ciclista competitivo mais antigo do mundo pelo Guinness World Records.

Como não admirar tamanho talento!  Marchand viveu uma história contagiante, dentro e fora das pistas. O francês despertou a admiração por seus feitos e se tornou uma lenda. Seu exemplo é inspirador. Em 2018, declarou o que o mantinha ativo: “use tudo e não abuse de nada”. O mundo precisa de mais heróis como ele. Que o seu descanso merecido seja repleto de paz! Sentiremos sua falta!

Fotos divulgação

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.