Sapatilha para pedalar, conheça os quatro principais pontos

sapatilha

Escolher uma sapatilha para ciclismo pode ser complicado, mais ainda para quem está começando a pedalar

Com tantas opções e estilos de sapatilhas, mas também preços disponíveis, como fazer para entender as diferenças e justificar a escolha. É naturalmente um processo que pode gerar muitas dúvidas.

Vale lembrar que cada modelo de sapatilha é igualmente projetado com determinado propósito. Portanto, para fazer a melhor escolha, é fundamental que você saiba qual o uso.

MTB, urbano, estrada, triatlo, ciclotursmo, trail… Em alto rendimento ou diversão?

A sola

A sola da sapatilha é o que entrará com contato com o piso, mas também onde fica preso o taco. É a sola que dita o tipo de terreno em que cada sapatilha deve ser usada.

As versões para estrada e triathlon costumam ter o solado liso, mas é comum ver pequenos detalhes em borracha ou mesmo plástico.

As sapatilhas para MTB, Gravel e urbana são mais versáteis, projetadas com solas versáteis e também resistentes. O solado com cravos permite caminhar pelo asfalto, terra e pedras com segurança, e sem escorregar e igualmente danificar.

Sapatilhas de MTB com solado em plásticos são mais acessíveis e bastante duráveis. Entretanto, oferecem menos aderência em pisos lisos ou molhados.

Versões com sola emborracha oferecem mais segurança em terrenos irregulares e pedras, dessa maneira recomendadas para mountain bike em trilhas fechadas, e igualmente recomendada para uso em locais que chove muito. Contudo estas sapatilhas costumam ter um preço mais alto.

Estrutura da sapatilha

De acordo com o material utilizado, o calçado mais ou menos rígido. O que assim define sua capacidade de transmissão de energia da pedalada, mas também o conforto.

Nas sapatilhas mais caras e indicadas para alto desempenho você encontra uma estrutura em fibra de carbono; nas intermediárias estrutura em plástico injetado com fibras de vidro ou de carbono e nas mais acessíveis plásticos injetados.

Algumas marcas informam o nível de rigidez ou índice de rigidez dos seus modelos, o que dessa maneira facilita a escolha. Dessa maneira o importante é saber: quanto maior o nível de rigidez, maior a transferência de energia, estabilidade e potência. Modelos menos rígidos costumam ser mais confortáveis, especialmente para iniciantes ou quem não esta preocupado com performance.

A parte superior da sapatilha

Chamada cabedal, a parte superior da sapatilha é responsável por proteger os pés e também manter a estabilidade. A parte superior é geralmente feita com tecidos sintéticos, malhas, mas também uma composição materiais.

A escolha por um ou outro material, mais ou menos nobre, mais simples ou não, ou tecnologias mais elaboradas, mais ou menos ventilação, proteção, durabilidade, maciez e conforto, é o que vai diferenciar os modelos.

Em sapatilhas com construção mais simples, encontramos então estruturas menos elaboradas com diversas áreas costuradas tornando a sapatilha geralmente mais robusta mas que podem não ser tão confortáveis.

O modelos mais tecnológicos, normalmente mais caros, contam com um design mais moderno, minimalista e podem ser bem confortáveis. Isso porque geralmente, são confeccionadas sem costuras. Mas também, materiais de alta tecnologia, entradas ou saídas de ar e tratamentos antibacterianos.

O sistema de fechamento

Velcro, botão giratório, faixa com catraca e cadarço, ou uma mistura desses sistemas. Estes sãos tipos de fechamento encontrados atualmente em sapatilhas de ciclismo.

Modelos mais básicos, geralmente contam com velcro, que tem bom ajuste e conforto, mas alongo prazo cede. Mas também a combinação de sistemas diferentes. Por exemplo, velcro na ponta e meio da sapatilha e faixa com catraca próximo ao tornozelo que permite um ajuste fino e garantem firmeza.

Nas sapatilhas top de linha, o mais comum é encontrar o sistema de botão giratório, que oferecem ajuste milimétrico. Além disso, este sistema é mais práticos e rápidos de se ajustar, mesmo em cima da bike.

O sistema de cadarço, provavelmente o mais confortável de todos, atualmente só esta disponível nos modelos mais caros. Mas sem sombra de dúvidas o pior para ser ajustado em cima da bike.

Fotos divulgação

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.