Sense Bike revela sua estratégia global

Fabricante nacional de bicicletas prepara-se para nova fase, ao apresentar a S2 Bicycle Industries, ampliando ainda mais sua presença dentro e fora do país.

Nascida em Lagoa da Prata em 2009, a Sense Bike surgiu para realizar um sonho: criar bicicletas feita de apaixonados para apaixonados. Com o passar dos anos, a marca foi se especializando cada vez mais, criando produtos capazes de mudar o mercado. De alguns anos para cá, a Sense passou a direcionar seus esforços para um objetivo maior: tornar-se uma marca internacional.

Em 2018, este processo ganhou força com o anúncio da compra da Swift Carbon, fabricante Sul-Africano, especializado em fibra de carbono, que já fornecia quadros para a Sense há alguns anos.

Apesar de comercializar bikes com molde exclusivo desde 2016, o anúncio colocou a Sense em um patamar diferenciado no mercado nacional. Vale destacar que a maioria das marcas em nosso mercado usam quadros de molde aberto e, neste tipo de produto, o mesmo modelo é compartilhado por diferentes marcas. Além da chegada da Swift Carbon, a Sense apresentou diversas novidades em sua nova linha, com modelos que prometem estimular, ainda mais, o mercado.

“No que diz respeito ao desenvolvimento do ciclismo, considero que a linha Grom traduz nossa vontade de fazer com que o brasileiro pedale mais”, explicou Henrique Ribeiro, CEO da Sense Bike.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (2).jpg

A linha é composta por bicicletas de alto desempenho, com rodas 16, 20 e 24, sendo indicada para garotos e garotas que querem praticar o mountain biking de verdade. Com ela, a Sense cobre uma lacuna em nosso mercado. Via de regra, a maioria das bicicletas neste segmento são de baixa qualidade ou destinadas apenas ao lazer. Além disso, a marca segue investindo pesado em seus modelos para adultos.

“Seguindo nossa promessa de oferecer mais por menos, temos a Impact Factory, nosso topo de linha, quando falamos em mountain bikes de alumínio. Além dela, não podemos esquecer de nossas duas novas plataformas de carbono, a Impact Carbon e a Invictus, que foram completamente renovadas”, explicou Henrique.

A diferença entre desenvolver e comprar pronto

Em teoria, montar e vender uma bicicleta pode ser simples. Até porque, é possível encontrar componentes e quadros já prontos na Ásia. Porém, para ter um produto atualizado e, por vezes revolucionário, é preciso investir no desenvolvimento próprio, algo que custa caro, mas traz resultados positivos.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (3).jpg

“Nossas novas bikes de carbono têm ao menos 30 meses de trabalho intenso, desde o briefing e entendimento até o produto final. É um processo longo e muito custoso, mas temos certeza que o consumidor vai sentir a diferença no pedal, e isso é o que importa”, disse Henrique.

Segundo ele, as novas Impact Carbon e a Invictus são as maiores provas disso. Além de projetos atuais, que contam com tudo o que já existe de mais moderno, elas trazem inovações, como o cockpit com cabeamento integrado, algo realmente pouco comum.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (4).jpg

Outro modelo que se encaixa nesta categoria é a Exalt LT, a versão com mais curso da Exalt. Segundo Henrique, em um primeiro momento, o objetivo da plataforma era conquistar o público acostumado com as bikes de XC. Depois, a evolução mostrou-se necessária.

“A Exalt é a bike que eu uso e ela é plenamente capaz de acompanhar seus amigos com bikes de XC. Porém, depois de um ano de Sense Enduro Cup, entendemos que o público do All Mountain tem um hábito globalizado. Muitos deles estão acostumados a pedalar fora do país. Por isso, precisávamos de um modelo mais robusto, capaz de encarar as montanhas mais altas e também atletas de alto desempenho”, complementou.

Além dessas três novidades no MTB, a marca ainda apresentou, mundialmente, a Swift Carbon Racevox, uma bike de estrada, que chega também no Brasil, com características superleves e aerodinâmicas, cobrindo uma lacuna entre a Ultravox SSL, a bike mais leve da Swift Carbon, e a Hipervox, modelo aero de estrada.

Linha em constante evolução

A Sense Bike começou suas atividades em 2009, com bicicletas urbanas de elevado valor agregado. De lá para cá, a linha evoluiu, sempre com a preocupação de manter a qualidade em alta. Isso acontece porque, segundo a filosofia da marca, uma bicicleta que proporcione prazer ao pedalar é fundamental para que as pessoas não desistam da atividade.

Todavia, de 2019 para 2020, a linha praticamente dobrou. Agora, contado com as bikes da Swift Carbon, o mercado brasileiro receberá 44 modelos diferentes, com a mesma filosofia de produção.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (6)

“A Sense nasceu no universo urbano, foi para o MTB XC e depois se comprometeu com o All Mountain, inclusive com a apresentação da Impulse E-Trail. A partir da parceria com a Swift Carbon, entramos de corpo e alma no mundo da estrada e do Triathlon. Com a linha Grom, pretendemos dar um incentivo para o crescimento do esporte. Nos sentimos na obrigação de completar estes universos, oferecendo o produto ideal para cada perfil de usuário”, comentou Henrique.

“Mesmo atuando em MTB XC, MTB all mountain, road, triathlon, urbanas e grom, ainda existem outros dez ou quinze mundos que nós não atuamos. Nós desejamos chegar lá, mas isso tudo com a responsabilidade de sermos bons e vencedores em cada um deles, tendo sempre um passo-a-passo sustentável”, complementou.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (7).jpg

Além disso, as ações para trazer mais ciclistas para o esporte seguem com força total, inclusive com a tendência de ampliação de eventos como o Sense Enduro Cup, o primeiro Campeonato Brasileiro oficial de Enduro e o Sense Extreme Days, que aconteceu em Lagoa da Prata, em Maio e reuniu nada menos do que cinco modalidades diferentes.

“Com a chegada da linha Grom, teremos um tipo de evento inédito no Brasil, voltado, especialmente, para garotos e garotas de 1 a 12 anos. Serão competições divertidas, particularmente, criadas para este público. Queremos interagir com quem consome nossos produtos, levando uma experiência prazerosa para todos os nossos clientes. Isso é um compromisso que temos com o ciclismo”, complementou.

S2 – Sense Bike e Swift Carbon unidas dentro e fora do Brasil

Impact Pro, Impact Race, Sense Easy, Sense Exalt e Prologue Disc são nomes de bicicletas que entraram para a história por um único motivo: todas traziam consigo características diferenciadas, que agradaram em cheio o consumidor brasileiro. Curiosamente, algumas delas foram projetadas no Brasil, enquanto outras nasceram do outro lado do planeta, nas mãos dos projetistas da Swift Carbon.

Para 2020, a união entre Sense e Swift Carbon fica ainda mais evidenciada pela criação da S2 Bicycle Industries – um S para Sense, outro para Swift Carbon. A novidade indica uma nova sinergia entre as marcas, inclusive no que diz respeito a desenvolvimento e distribuição.

Segundo Henrique, as marcas seguem com seus DNAs próprios, com a Sense mais focada no MTB e a Swift Carbon nas estradas. Conforme ele explicou, a estratégia de vendas é global. Isso significa que, no futuro, poderemos ver bicicletas brasileiras sendo comercializadas ao redor do mundo. Com a chegada das novas Impact Carbon, Invictus, Exalt e com os novos produtos em alumínio, ele acredita que, agora, a Sense possui produtos para brigar de igual para igual com o que existe de mais avançado.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (9).jpg

“O S2 é a sinergia entre as marcas Sense e Swift Carbon. A nomenclatura mostra, claramente, que estes são nossos dois mundos, já que não queremos ter outras marcas sem DNA. Até por isso nosso slogan é “Marcas verdadeiras para um desafio global’’. Dentro da S2 Bicycle Industries, queremos retomar o que acontecia no passado, com cada marca tendo sua própria fábrica. Por isso, Sense e Swift Carbon possuem suas plantas industriais, com alumínio no Brasil e carbono na Europa”, afirmou.

Daqui para frente, as empresas devem tirar proveito da sinergia sempre que isto for possível, mas as estratégias de comunicação serão independentes. Afinal, existe uma diferença de perfil entre ciclistas de estrada e mountain bikers.

“Enquanto no MTB nós temos pedras, madeira e bermudas largas, na estrada e no triathlon temos a eterna competitividade, aquela coisa do “always racing”, que inclusive é o slogan da Swift Carbon”, disse Henrique.

“Hoje, temos a Lagoa Participações como grupo econômico e, dentro dela, temos a S2 Bicycle Industries, que tem a Sense e a Swift Carbon. A Sense tem como sua assinatura o Bike Passion, com o slogan Breaking Limits, representando o desejo de sempre quebrar os limites. Já a Swift Carbon tem como assinatura o Exceptional Ride, representando seu compromisso com a qualidade de pedalar, e o slogan always racing”, explicou.

Produtos que falam com ruas e cidades

A cada dia que passa, o segmento das bicicletas urbanas fica maior. Porém, com a chegada das bikes compartilhadas e com a grande disponibilidade de bicicletas de qualidade inferior, o trabalho de convencimento deste público apresenta desafios.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (10)

“Este é um dos mundos mais desafiadores, principalmente quando queremos falar com o público da mobilidade com bicicletas por opção. Para isso, criamos modelos que oferecem benefícios capazes de fazer o ciclista não optar pelo compartilhamento ou por bikes mais baratas”, contextualizou Henrique.

Segundo ele, muitos usuários da Sense também são pessoas que pedalam esportivamente e entendem os benefícios de uma boa geometria, por exemplo. Por isso, modelos como a Move e Active apostam no conceito da simplicidade com alta qualidade, para oferecer desempenho.

sense-bike-apresenta-sua-estrategia-global (11)

Além delas, bicicletas como a Easy, que possui quadro dobrável e assistência elétrica, oferecem alta versatilidade. Até por isso, o modelo, que sempre foi um dos mais desejados da marca, estará de volta em 2020 com um projeto melhorado.

Expectativas a longo prazo

Desde antes da Swift Carbon ser absorvida pela Sense, diversos planos de ação foram considerados para tentar proporcionar um crescimento sustentável para a Sense. Porém, depois da compra, os estrategistas das marcas atingiram o atual modelo de colaboração. Apesar disso, segundo Henrique, ainda existe muito para ser feito.

“Neste momento vamos para o plano 2, que é um planejamento de ação em conjunto. Com isso, esperamos que ambas as marcas encontrem seu espaço em nível global. Não almejamos sermos os maiores em quantidade, mas com certeza queremos estar entre as marcas mais desejadas”, comentou.

Segundo ele, Sense e Swift Carbon seguem desenvolvendo produtos no Brasil e em Portugal, onde está a sede da Swift Carbon. Os projetos em carbono e em alumínio serão capitaneados por Pierre de Tarde, gerente de produtos da Sense Bike. Além disso, a Swift Carbon também passará a desenvolver projetos em alumínio, mesmo que a produção continue aqui dentro do Brasil.

“Consideramos que o Brasil é a plataforma que vai demandar este desenvolvimento e a produção do alumínio. Teremos também, no Brasil, toda a parte de testes e desenvolvimento de modelos piloto”, afirmou Henrique.

O consumidor brasileiro poderá conferir de perto os frutos dessa colaboração. Lançadas no ano passado, as lojas conceito Sense Bike Shop passam a se chamar S2 Bike Shop, onde os últimos modelos de ambas as marcas estarão disponíveis. Além disso, os novos modelos estarão disponíveis para todos os lojistas que hoje já trabalham com a Sense.

Fora do Brasil, a S2 Bike Industries sonha alto, com o objetivo final de ganhar espaço, inclusive, no disputadíssimo mercado norte-americano. Porém, em um primeiro momento, o objetivo é crescer na Europa, principalmente na Espanha e em Portugal.

“A Swift Carbon foi fundada por um inglês, que vive na África do Sul, então a marca conseguiu uma boa penetração no mercado britânico, no Sul Africano e na Austrália. Agora, com nossa operação industrial na Europa, intensificamos nossos trabalhos em Portugal e Espanha. Precisamos fazer bem feito nestes países para depois sonhar com o mercado Americano”, explicou Henrique.

Olhando para o passado, de olho no futuro

A Sense é um projeto que está completando 10 anos, sempre apresentando um grande crescimento e bikes de qualidade. Isso, como era de se esperar, deixa o “capitão” deste barco bastante satisfeito. Porém, o CEO da marca é o tipo de pessoa que está sempre olhando para frente, para navegar por mares ainda mais desafiadores.

“Ficamos felizes em ver o crescimento de nossa empresa e do ciclismo como um todo. Acreditamos muito no crescimento do bom ciclismo. Então, quando disponibilizamos bons produtos, todo o resto vem de forma natural: boas competições, pessoas apaixonadas pela bicicleta, modelos sustentáveis e que passam por várias mãos, deixando muitas pessoas felizes e, principalmente, o ciclismo mudando vidas”, disse Henrique.

“Temos observado muita gente colocando mais sentido em suas vidas, e esse é o grande objetivo do nosso negócio: gerar riquezas, fazendo o bem”, finalizou.

Fotos: Pedro Cury / Cesar Delong / Ney Evangelista / Sense Divulgação

Sobre a Sense Bike

A Sense Bike nasceu em 2009, como uma marca de apaixonados para apaixonados, com o objetivo de oferecer bicicletas capazes de encantar pela experiência positiva em pedalar. Ao longo dos anos, o fabricante marcou seu nome no Brasil com modelos como Impact Pro, Criterium e Active. Depois de comprar a Sul-Africana Swfit Carbon, a Sense Bike volta suas atenções também para os projetos em fibra de carbono, com molde exclusivo, preparando-se para seguir quebrando limites dentro e fora do Brasil.

Sense Bike Passion – Breaking Limits

Mais informações no site da marca

Leia a notícia anterior da Sense

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.