CIMTB – Pista de XCO em Taubaté garante fluidez e diversão

cimtb
Local passou por melhorias e já tem aprovação de atletas. Evento está previsto para acontecer entre os dias 6 e 8 de novembro

A pista de Cross Country Olímpico (XCO) da etapa de Taubaté da CIMTB Michelin está pronta. O percurso que assim está localizado no Parque Municipal Vale do Itaim já tinha o trajeto traçado e passou por modernizações para a realização da CIMTB Michelin que está marcada para de 6 a 8 de novembro. De acordo com o treinador Rodney Hoffmann, com as mudanças os atletas terão mais fluidez e diversão no percurso. E, assim segundo o construtor do percurso, Valmor Hausmann, a pista é marcada por saltos e também paredões para manter a fluidez.

Veja o vídeo

Hausmann adiantou que contudo a dica para os atletas é aprender a impulsionar a bicicleta para cima.

“Conseguindo impulsionar a bicicleta de forma correta, o competidor encaixa bem a recepção para pegar velocidade. Tem saltos grandes e vai ser um desafio para grande parte do pessoal. Mas todos são fáceis, é só vir na velocidade e levitar a bicicleta. Está bem divertido”, afirmou.

Rodney Hoffmann contou que já havia um traçado na pista e que o lugar era usado para campeonatos regionais.

“As mudanças levam a pista a acompanhar o avanço do mountain bike no cenário mundial. A pista conta com mais obstáculos e com isso ganhamos no nível técnico. O percurso está moderno e rápido e o atleta que competir vai precisar de muito conhecimento fisiológico já que agora o local conta com bastante rampas, descidas, curvas em nível e como consequência, muita fluidez. Isso vai ser muito legal”, afirmou. “Atletas que já testaram a pista, estão se divertindo muito e tenho certeza que vai agradar aos competidores”, comentou.

Quem já conheceu o XCO de Taubaté foi Stefanye Lindolfo do Time Hoffmann Taubaté que vai estrear na Elite. Ela contou que a pista de Itaim foi o primeiro contato dela com o MTB.

“Comecei a pedalar por causa desse percurso, os obstáculos e desafios me encantaram. Contudo ao longo do tempo a pista foi ganhando forma e eu evolui junto. Meu palco central de treinos é nessa pista e tenho um carinho especial por ela. Hoje, a pista está incrível com um nível técnico mais elevado, o que contribui ainda mais para minha evolução. Dura e divertida. Amei os nomes de cada trecho, baseado nos personagens de Monteiro Lobato. Espero todos aqui para curtir a nossa pista”, afirmou.

Outra atleta que da mesma forma conheceu o percurso é Danilas Ferreira (Trinks Brasil Racing) da Elite Feminina.

“Tenho feito treinos na pista, é dura, técnica, tem bastante subida, obstáculos, saltos, rock garden. Uma dica para os atletas terem mais desempenho, é treinar bastante saltos e subidas, porque vai exigir muito”, explicou.

Segundo Rogério Bernardes, organizador do evento, desde a primeira visita ao local em 2019 já foi possível ver o potencial do percurso.

“Muito espaço, topografia excelente, localização espetacular, perto da Via Dutra, e uma pista que tem campo de visão excelente para interação dos atletas com público e equipes. O tempero que faltava veio com o trabalho do Valmor Hausmann que modernizou a pista, tornando-a desafiadora e divertida. Nosso compromisso era deixá-la pronta com antecedência para que os atletas da cidade, região e de outros estados pudessem conhecer o traçado e treinar, e conseguimos alcançar nosso objetivo com apoio da Prefeitura Municipal de Taubaté”, explicou Rogério.

Esta será a primeira vez que Taubaté recebe uma etapa da CIMTB Michelin.

“Achamos muito importante este primeiro contato dos atletas com a pista antes da etapa para aumentar a segurança e uma boa estratégia de prova por parte dos competidores. Agora é torcer para que esteja tudo bem até o evento”, completou o organizador da CIMTB.

cimtb
Stefanye no Rock Garden da Cuca
(Foto: Arquivo Pessoal)

Nomes dos trechos

Assim como o Descidão da Dona Beja em Araxá, a inesquecível Ladeira de Congonhas, Taubaté também terá os nomes apropriados em diversos trechos. Em busca de homenagear a cidade natal de Monteiro Lobato, o percurso foi batizado em vários locais com personagens do Sítio do Picapau Amarelo.

Após a largada, por exemplo, o competidor vai se deparar com a subida do Sítio do Picapau Amarelo, em seguida, o Slalom da Narizinho, após o Slalom do Pedrinho, o Tobogã do Rabicó, a Descida da Emília, Trilha da Tia Anastácia, Rock Garden da Cuca, Escadaria do Saci Pererê, Trilha do Curupira, Subida do Visconde de Sabugosa e, fechando, a descida da Dona Benta. Um mergulho na cultura brasileira através do mountain bike.

Além disso você também pode se interessar:
Medida acertada

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.