Trek-Segafredo afasta Quinn Simmons por declarações no Twitter

Quinn Simmons

A equipe de ciclismo Trek-Segafredo afastou o ciclista Quinn Simmons de 19 anos, depois de se ter envolvido numa discussão no Twitter. Assim a equipe considera a postura de Simmons “divisiva e incendiária”.

“Meus queridos amigos americanos, espero que esta horrível presidência termine para vocês. E para nós como (ex?) Aliados também. Se você me seguir e apoiar Trump, você pode ir. Mas não há desculpa para seguir ou votar no homem vil e horrível. ”

O jovem de 19 anos respondeu ao tweet de um jornalista que havia escrito:

Simmons respondeu com a palavra “Tchau” e as reações vieram rapidamente, com alguns usuários pedindo a Trek-Segafredo para rescindir seu contrato, enquanto outros o acusaram de racismo ou o insultaram duramente.

Quinn Simmons assinou com a Trek-Segafredo no ano passado depois de vencer o Campeonato Mundial Júnior em Yorkshire, um título que contudo ele ainda detém na categoria não disputada no evento deste ano em Imola.

A Trek-Segafredo explica que embora dê valor “à liberdade de expressão”, não deixa de “responsabilizar as pessoas pelas suas palavras e ações”. Que dessa maneira vai “trabalhar com Quinn para ajudar a compreender o tom de conversação apropriado que um atleta deve manter”, em vez de juntar “a conversações divisivas”.

Assim Quinn Simmons pede desculpas

O ciclista norte-americano Quinn Simmons, suspenso pela Trek-Segafredo após um ‘tweet’ de apoio ao presidente dos EUA, Donald Trump, pediu hoje desculpa e disse que é “firmemente contra o racismo sob qualquer forma”.

“Peço desculpa a todos os que se sentiram ofendidos. Sou firmemente contra o racismo sob qualquer forma. Para os que não estiverem politicamente de acordo comigo, tudo bem, não os irei odiar por isso. Só peço o mesmo”, disse numa mensagem Quinn Simmons.

Simmons respondeu a um comentário de ciclismo na rede social Twitter, que criticava Donald Trump, com uma mão a acenar, identificando-o como apoiante de Trump perante a conversa que se desenrolou, assim utilizando a imagem de uma mão com tom de pele negra para acenar.

Quando o identificaram, nessa conversa, como apoiante de Trump, Simmons confirmou, gerando uma discussão naquela rede social que se arrastou até à Trek. A empresa de bicicletas contudo que já tinha sido criticada pelo uso das bicicletas como arma de arremesso pela polícia contra protestantes.

“Como americano, sempre tive orgulho de representar o meu país. Competir por uma equipa americana tem sido um sonho para toda a vida. Um dos principais motivos pelos quais escolhi esta equipa foi por causa dos valores que transmite”, refere Quinn Simmons.

O ciclista, de 19 anos, assegura ainda que não era sua intenção dar a conotação racista ao ‘tweet’ ao utilizar a cor negra no ‘emoji’.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.