Pandemia – Lockdown – Nós

ciclismo

Já passou um ano desde que falaram que seria apenas algumas semanas até a curva cair, entramos em quarentena, acreditamos e ficamos em casa por apenas algumas semanas. 

Foi um ano tentando descobrir o que isso significa e tentando se manter “normal”. 

FOI UM ANO QUE PASSOU RÁPIDO E HOJE PARECE QUE ESTAMOS VIVENDO UM “DEJAVU”.

Lembro-me de sair à rua de carro e estavam vazias em minha cidade. Lembro-me de todos nós dizendo uns aos outros que está era uma chance de usar as habilidades que aprendemos como atletas: ser flexível, resiliente, adaptável. 

Fomos todos “qualquer coisa” e acreditamos que ser qualquer uma dessas coisas nos manteria com uma boa saúde física e mental. Acreditamos que estaríamos de volta competindo e o IronBrasil 2020 iria acontecer. Mas me lembro que logo em seguida postergaram para o fim do ano, como está acontecendo agora e não aconteceu. Assim ficou para Maio de 2021 e como um DEJAVU já postergaram novamente para o fim do ano. 

NÃO É ESPORTE E ISSO SE TORNA UM PROBLEMA

Para muitos de nós, competir e cruzar a linha de chegada é uma história de triunfo de superação de adversidades, de muito treino e a dedicação ter valido a pena. Usamos sempre nossa superação no esporte como alavanca para superar o dia a dia, dentro do que é possível.

Mais de um ano e a pandemia não acabou, então não sabemos mais quando vai acabar e isso não se parece com o que vivenciamos nos esportes. Não é uma maratona, uma travessia, não é um Ironman, não sabemos onde é a linha de chegada, onde atravessamos e olhamos para trás e ficamos emocionamos com o que fizemos. 

NÃO VENCEMOS AINDA, MAS SE IREMOS VENCER É DIFÍCIL DIZER. 

Ao contrário de um evento esportivo, podemos simplesmente parar e pensar, desistir da prova, ir mais devagar ou mais rápido, literalmente curtir quando estiver bom e parar se estiver dando tudo errado e a qualquer momento que você queira.

Mas em meio de uma pandemia nós não temos essas opções, somente seguir, mas seguir pra qual direção, em que velocidade, supere-se e continue é uma palavra de ordem adequada para o momento?

A realidade é que eventos esportivos, por mais duros que sejam, são situações que nos colocamos por opção é algo voluntário. 

PANDEMIA, UMA PROVA SEM REGRAS

Somos competitivos, dentro de nossas medidas, por isso levamos nossas vidas com o cumprimento de etapas, etapa do treino da manhã, primeiro turno do trabalho, almoço, segundo turno, treino da noite, jantar, dormir e repetir no dia seguinte… fim de semana vai ser longão de pedal e corrida. Como nas provas dividimos nossas rotinas e processos na expectativa de resultados claros e definidos (seja qual for). 

Depositamos nossa fé que se fizermos tudo certo, teremos sucesso ao final, mas a nossa realidade está em grande parte fora dessa ordem, pois não temos o “final” já definido aonde e quando vai ser.

Triathlon
Foto Italo Valu
A SUA PARTICIPAÇÃO É OBRIGATÓRIA

Está sendo um ano difícil para todos, saber e aprender a viver com o novo normal, adaptar-se com as restrições e mudanças, sejam adequadas ou não. A pandemia está sendo desafiante para todos nós vivenciar grandes e pequenas tragédias criadas ou exacerbadas pela covid. 

Aprendemos muitas coisas boas com os esportes. Descobrimos que dá para continuar quando achávamos que não era mais possível, aprendemos que somos mais capazes que imaginávamos.

SEM LINHA DE CHEGADA

Não existe vitória ou derrota no que estamos passando, não existirá uma linha de chegada que ao cruzarmos poderemos deitar no chão e ficar olhando para o céu e ali ficar pensando no que passou e começar a rir ou chorar de alegria por ter concluído sua prova e não precisar ir a lugar nenhum. Não podemos ficar deitados esperando o staff chegar até nós e nos ajudar a levantar.

Eu li um texto de um médico dizendo sobre vencer o câncer, ele dizia que não existe vitória ou derrota. Não devemos encarar essa situação como uma corrida que você se preparou para participar, pois a cura de uma doença não depende somente da vontade do paciente de querer chegar e cruzar à linha de chegada, de querer vencer, não é uma corrida é a vida.

Deixem seus comentários e vamos conversando mais sobre. Grande abraço galera e vamos juntos nessa jornada.

Italo Valu
Treinador de Triathlon ; Graduado em Ed Física
Treinador Certificado IronMan;
CBTRI Nível 2; Training Peaks
valubikes@gmail.com
Instagram: @VALU_TRI
Facebook: Valu Triathlon
SITE: www.Valutri.com

Foto capa Italo Valu

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.