O grande prazer de poder treinar com meu o filho!

Fala Bikers! Como estão todos vocês? Vamos para mais uma matéria com experiências em cima da bike. Hoje, falarei da experiência magnífica de poder treinar junto ao meu filho de 12 anos, João Lucas (Sansão)!

Bom, antes de falar dos treinos junto dele na bike, tenho que falar também que ele é meu aluno na Capoeira, e tudo começou ainda na barriga da mãe dele, pois minha esposa também fazia Capoeira e sempre foi minha aluna. Assim que o João nasceu, já ia às aulas comigo e com a mãe. Sem forçar a participação, influenciamos e deixamos fluir a presença dele na capoeira, foi natural, ele mesmo começou a fazer por vontade própria, aí sim entrou nossa parte de motivá-lo nas aulas, e logo ele já estava fazendo todos os movimentos, golpes, esquivas, “floreios” (movimentos acrobáticos da Capeira).

Como já escrito em algumas matérias anteriores, iniciei no ciclismo já com 39/40 anos, e ele sempre admirando, os uniformes, luvas, capacete, sapatilhas…

O inicio na bike

João Lucas tinha uma bike aro 20 e sempre andava no nosso quintal, levávamos para parques e quadras para ele andar, e foi aí que começou a pegar o “gosto” pela bike. Chegava da escola e sem perder tempo logo ia andar na bike. Finais de semana? Pedalava direto!

Assim em algumas provas em que eu competia (MTB), tinha categoria para as crianças e ele sempre participava. Em 2019, eu competi as 4 etapas da Marathon Cup, em Minas Gerais, ele também participou das 4 etapas da Categoria até 10 anos. Sua classificação foi bem admirável:

  • 1ª Etapa – Juiz de Fora – MG: 4º Lugar
  • 2ª Etapa –  Goianá – MG: 2º Lugar
  • 3ª Etapa – Matias Barbosa – MG: 1º Lugar
  • 4ª Etapa –  Mar de Espanha – MG: 1º Lugar

Assim, sagrando-se Campeão do Ranking Marathon Cup 2019 e ainda com uma aro 20, sem marchas.  Depois desse episódio começamos a dar mais atenção a esse gosto, essa perseverança.

filho
Foto arquivo pessoal

Muitas vezes até penso que a dedicação dele nos treinos pode ser uma cobrança, por eu ser competitivo e também muito disciplinado, mas também percebo, que por ter vindo sem cobrança, mas também pelo próprio gosto dele, acredito que não é cobrança forçada e sim do sangue!!! kkkkkkkkkkk.

Com uma bike melhor

Em dezembro de 2019, João ganhou uma MTB aro 26, com marcha, freio hidráulico, etc, logo depois de 2 dias, saímos para viajar, nas férias de fim de ano, para Paraty – RJ, como sempre fizemos há anos. Acabamos não voltando e ficamos morando na cidade. Alguns meses se passaram e veio a pandemia, mas como eu continuei treinando e não parei, ele começou a treinar comigo, nos meus OFFs da semana. Comecei então a ver seu interesse não somente pela bike propriamente dita, mas por treinos, assessórios, equipamentos, sempre se mantendo informado nas atualizações do mercado da bike, nos nomes mundiais, rankings, enfim, tudo o que está relacionado ao mundo do ciclismo ele está sempre antenado, e sempre procurando saber mais.

Agora, às vésperas de completar 13 anos, está treinando mais sério e com treinos mais específicos, e lógico, que é aí que eu entro na história, rsrsrsrs… Vocês acham que eu perderia a oportunidade de poder treinar com meu filho? Ah, nunca, não é? Poder passar para ele um pouco da minha experiência, ajudar, explicar, mostrar erros que cometi e conscientizá-lo a não cometê-los, isso é inexplicável e acima de tudo, um prazer de treinarmos juntos.

Pedalando junto

Hoje, com mais consistência, mais forte, já consigo sair com ele para realizar meus treinos de recuperação em Z2. Em treinos mais leves, ele já consegue fazer roda, colocando uma cadência mais constante, consegue realizar treinos mais longos (para idade apropriada dele), treinos curtos, porém, mais forte, treinos intervalados e todos sem “quebrar”, sem “virar os olhos”, “sem o cara da marreta” (mas nem sempre é assim) kkk! 

Lógico que o pai dele sendo eu, “Castor Capoeira”, nem todo treino é moleza, mas incluímos sempre a troca de conversas depois do treino, como foi, como ele se sentiu, nas partes mais técnicas se ele consegui evoluir, onde poderia ter forçado mais, entre outros assuntos. Esse “Feed back” é super gratificante e importante, pois acabo conseguindo atingir e contribuir na sua evolução.

Sempre posto fotos dos nossos treinos nas redes sociais, fico orgulhoso, pois “o exemplo arrasta” e se pudermos divulgar que somos exemplos para nossos filhos, isso pode ser uma pequena chama para que outras pessoas façam a mesma coisa. Temos vários exemplos próximos de nós, como: Albert Morgen com sua filha Giuliana Morgen “Giugiu”, o próprio Ruy Avancini com o Henrique Avancini!

filho
Foto arquivo pessoal
O poder do exemplo

Acredito muito que não adianta você colocar seu filho em um esporte, dar educação, se você não for um exemplo para ele. Como explicar seu filho que salada é saudável e ele precisa comer, se o próprio pai e a própria mãe não comem?  “O mostrar sem ser exemplo não convence, muito menos vence”!

Faço uma brincadeira todas às vezes que posto dos nossos treinos, digo que o treino foi com o “monstrinho”. Galera, o moleque está em mutação mesmo para monstro, muita gente elogiando, batendo palmas para ele, pelo seu desempenho nos treinos! O menino é bom e me faz um pai muito feliz!

Então Bikers, essa é a experiência que venho dividir com vocês nessa matéria, espero que tenham curtido, e se liguem no site, sempre com muito conteúdo do mundo da bike, e bora treinarrrrrrrr!!!

Forte abraço, @capoeira.castor

Fotos arquivo pessoal

Aviso: Se você é o detentor dos direitos autorais das imagens utilizada nessa matéria, entre em contato para que possamos dar os devidos créditos ou retirar, caso assim seja necessário.

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.