“Quebrando” na tão esperada prova Ibitipoca Trip Trail 2018

Ibitipoca Trip Trail
Ibitipoca Trip Trail, a prova mais esperada do ano por mim, e pelo meu parceiro, “Capitão” Marcelo Gonçalves.

O Ibitipoca Trip Trail trata-se de uma prova de MTB, completamente radical, no qual o principal objetivo é percorrer terrenos acidentados e com diversas irregularidades. Que assim pode reunir em uma única prova os segmentos do downhill e do cross country.

Vindo de uma vitória em 2017, e já conhecendo os trajetos dos dois dias de prova, por lógica teríamos um ponto de vantagem, mas sendo uma prova de ciclismo podemos esperar tudo.

Bom, então toda uma preparação foi feita para competir a tão esperada prova.

A chegada na Vila de Ibitipoca foi à sexta- feira, anterior ao dia da primeira etapa, para fazer o Briefing (Retirada de numeral, chip, e todas as informações).

Toda estratégia para a prova começou a ser traçada (lembrando que todo o treinamento, alimentação e preparação estavam em dia).

Amanheceu e fomos para o primeiro dia!

Começamos a fazer todo o aquecimento e logo após alinhamos. Largamos super bem, sem forçar ao extremo e bem próximos ao primeiro pelotão. Nas subidas o Gap diminuía para o primeiro “pelote”, um detalhe importante: em Ibitipoca não tem muito estradão. Nas descidas, o primeiro pelotão abria um pouco mais, pois corremos de harditail e como as descidas eram muito técnicas ficava mais difícil manter uma velocidade forte. Mas dentro da estratégia estava tudo dando certo!

Infelizmente, próximo ao KM 22, meu parceiro Marcelo sofreu uma queda muito forte, caindo de cabeça, e sentindo muito o pescoço. Mas bravamente seguiu firme e sempre com muita energia positiva. Posteriormente a esse episódio, uns 2 à 3 KM à frente, aconteceu o inesperado, quebrei! Virei os olhos, deu teto preto, o cara da marreta bateu forte…

Ibitipoca Trip Trail
Foto arquivo pessoal

Algo completamente estranho, que de fato nunca acontecera comigo. Imagina uma bateria de celular com 100% de uma hora para outra zerar 0%, me desliguei por completo, me recordo do grande amigo Carlinho Salvini passando por mim e dizendo: “Bora Capoeira! O que aconteceu?“

Até hoje é uma incógnita, eu não conseguia mais pedalar, era como se eu não tivesse mais energia, nas descidas me faltavam forças nos braços, subida?? Nem me fale! Meu parceiro foi incrível, como não tinha mais forças e as câimbras eram insuportáveis, ele levava a bike dele e a minha empurrando, e o tempo todo dizendo:

“Irmão, estou com você, você é forte e vai conseguir, mas caso queira desistir estou com você também”!!!! E eu o tempo todo dizendo: “posso chegar a noite mas irei chegar, pois mesmo com todas as dores não irei desistir!”

Assim foi até a chegada!

Sinceramente, chegar na última subida e ouvir todo mundo gritar o meu nome: “Vai Castor”, foi incrível! Para mim foi como se fosse a vitória.

Contudo, chegamos em 5º Geral de duplas, um resultado não esperado, mas sinceramente vitorioso devido a tudo que aconteceu. Então, depois dessa primeira etapa de prova fomos descansar e conversando com minha esposa Mary, que sempre fica nos bastidores dando todo suporte necessário, eu disse:

“O Capitão Marcelo está machucado devido a queda, se ele quiser desistir, irei desistir. Alguns minutos depois bate na porta do quarto e era ele dizendo: Castor, se quiser desistir estou com você, eu prontamente disse: “mas não desisto mesmo”!

O segundo dia

Então no domingo alinhamos para o segundo dia de prova, dia de total superação e recuperação, meu parceiro ainda com muitas dores, mas sem perder a tocada. Eu?? Parecia que não tinha acontecido nada no dia anterior, consegui imprimir um ritmo forte, e constante até o fim da prova, e conseguimos chegar em 3º Geral de duplas livres, finalizando em 3º Lugar Geral na somatória dos dois dias.

Ibitipoca Trip Trail
Foto arquivo pessoal
Resultado: 3º Geral de duplas livres no Ibitipoca Trip Trail 2018 .

Bom, acredito que foi um aprendizado sem igual, até mais que no ano anterior que fomos Campeões, aprendi muito com essa experiência, o que trago de mais importante comigo foi a incrível amizade e companheirismo do meu parceiro, que o tempo todo me incentivava com energia positiva. Aliás, fica aqui uma dica que deixo para quem for competir em dupla.

“Nunca corra com um atleta que tenha as mesmas características que você, pois as diferenças que fazem a união da dupla, pois o que te falta, o seu parceiro te completa, e o que faltar no seu parceiro, você o completará!”

Deixem seus comentários e vamos conversando mais sobre. Vamos juntos nessa jornada.

Um abraço Castor Capoeira
@capoeira.castor

Além disso você também pode se interessar:

Clique aqui e veja os descontos que nossos parceiros concede para nossa audiência!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.